Esta página pode utilizar cookies.

Nem painéis solares, nem turbinas eólicas: o projeto sustentável que chegou à pequena cidade de Rjukan, na Noruega, é um sistema de espelhos gigantes que vai iluminar a localidade durante os meses com menor incidência do sol. Além de reduzir os gastos com energia elétrica, o modo de geração limpa e renovável também vai aumentar a claridade natural para os três mil e quinhentos habitantes que não conseguem ver o sol de setembro a março. Três espelhos gigantes, cada um com uma área de 163 metros quadrados, foram instalados nos cumes das montanhas que cercam Rjukan, localizada em um vale norueguês. A “usina” vai levar iluminação para a praça central da cidade, atingindo um raio de cerca de 650 metros quadrados. A parte operacional e de controle do sistema será abastecida por módulos solares e eólicos. Segundo informou o jornal norte-americano The Huffington Post, a obra foi concluída em julho e demandou cerca de 830 mil dólares. O sistema é controlado por um computador inteligente, instalado no edifício da Câmara Municipal de Rjukan. Sensores automáticos seguem a trajetória do sol e calculam a melhor posição para refletir os raios na parte inferior do vale.