Esta página pode utilizar cookies.
Warning (2): getimagesize(/wp-content/uploads/2011/08/a-selva-1-560x372.jpg): failed to open stream: No such file or directory [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 44]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Warning (2): Division by zero [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]

A Associação da Hotelaria de Selva da Amazônia Brasileira vai lançar um estudo inédito da hotelaria de selva no Estado do Amazonas. A entidade criada em março de 2009, e que reúne empreendimentos hoteleiros na floresta amazônica nos principais polos turísticos da Amazônia brasileira, apresenta o projeto no próximo dia 23/08, às 19h, nas dependências do Sebrae-Amazonas. O "Diagnóstico da Hotelaria de Selva do Estado do Amazonas", que teve o apoio financeiro do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan) e consumiu mais de 20 meses de trabalho, teve também o apoio do Sebrae-AM, da Azul Linhas Aéreas, Abrajet-Sp e da Universidade Nilton Lins de Manaus. O objetivo da pesquisa é o levantamento e diagnóstico regional da infraestrutura da hotelaria de floresta no Estado visando consolidar produtos turísticos e viabilizar o desenvolvimento sustentável do turismo de floresta amazonense. A associação tem como presidente do Conselho de Administração o empresário Peter Tilanus; Sergio Carvalho, CEO da Minor Hotels como diretor-presidente e Caio Fonseca, vice-presidente do Conselho e Diretor Geral do Juma Lodge. Os executivos são unânimes em afirmar que a principal expectativa é que o "Diagnóstico da Hotelaria de Selva do Estado do Amazonas" sirva principalmente para a geração de indicadores do segmento hoteleiro de floresta em níveis municipais e regionais produzindo uma série histórica do setor para avaliação de sua competitividade; fornecendo informações que possam subsidiar o planejamento estratégico da atividade da hotelaria de selva em toda a Amazônia, de forma a dar suporte a políticas públicas estaduais e municipais para o desenvolvimento do segmento e monitorar a sua evolução da atividade no Estado.