Esta página pode utilizar cookies.

A força dos concessionários no Salão da Motocicleta

Teve início na última terça-feira (06/11), o Salão da Motocicleta, evento bienal organizado pela Megacycle. Esta é a terceira edição da feira, que vem ocorrendo nos anos pares e alternando-se com o Salão Duas Rodas (principal evento motociclístico do País). Ao todo, 200 expositores investiram R$ 30 milhões para mostrar produtos e serviços no Centro de Exposições Imigrantes. Neste Salão da Motocicleta, os estandes das grandes marcas de motos foram montados por concessionários ou por uma associação destes. Eles vão não só para mostrar os produtos como as montadoras, mas para fechar negócios. [caption id="attachment_243887" align="aligncenter" width="562"] Em sentido horário, a partir do alto, Alberto Pellegrini, organizador do evento; estandes da Mobil e da Yamaha; e área dedicada a 120 expositores chineses.[/caption] “É a primeira vez que participamos, pois abrimos a Aba Harley-Davidson há menos de um ano”, afirma a gerente de relações institucionais, Sandra Lewkowicz. A Aba é mais conhecida como revendedor Chevrolet, tanto que levou à feira um Camaro, uma S10 e até o recém lançado Onix. Sandra e sua equipe estimam vender entre 35 e 48 motocicletas Harley-Davidson durante o evento. No estande Honda da concessionária Monte Leone, o gerente Sidney Cuencas Júnior estima fechar cinco negócios por dia: “É um volume baixo”, admite, “mas o salão é também a oportunidade de mostrarmos lançamentos, modelos nacionais e importados. E a feira também gera contatos posteriores.” O representante comercial da Yamaha Ubiratan Falco tem a mesma opinião: “Após a feira, com os contatos feitos e trocas de telefone, fecharemos cerca de 70 negócios.” Falco atendeu Automotive Business no estande montado pela Associação Brasileira dos Concessionários Yamaha (Abracy), o mais chamativo da feira pela localização, quantidade de motos e de garotas posando para fotos sobre as motocicletas. Ele espera vender 20 motos durante a feira. [caption id="attachment_243891" align="aligncenter" width="562"] Piaggo e Vespa apresentam novidades.[/caption] A Piaggio, que detém a marca Vespa, está representada na feira pela Global Scooters: “Temos oito modelos à venda atualmente no Brasil”, afirma o diretor comercial da Global Scooters, Eduardo Pacheco. “Trazemos cerca 600 unidades por ano”, diz. O modelo mais acessível é a Vespa 150, por R$ 17,9 mil. Sobre a possibilidade de a Piaggio produzir modelos no Brasil, ele afirma: “Quando ela vier, certamente será com estrutura própria. Não vai montar motos em fábricas de terceiros”, diz, referindo-se a associações que ocorrem em Manaus entre Dafra e outros fabricantes internacionais. No estande da Piaggio havia também um modelo parecido com uma das versões produzidas pela Lambretta no Brasil. O scooter chama-se Motorino. É produzido na China com a marca Northstar e está à venda por R$ 8,9 mil. Tem motor de 150 cc e transmissão automática. “Montaremos esse modelo no Brasil a partir de maio ou abril de 2013", afirma o diretor da empresa no País, Antônio Augusto Esteves. Concessionários Kawasaki também se reuniram para mostrar a linha à venda no Brasil. Nem só de motos se faz este salão. Lojistas, fabricantes e importadores de peças e acessórios também aproveitam a feira para divulgar seus produtos. “Na edição anterior tivemos cerca de 30 expositores chineses de peças. Nesta são 120”, afirma Alberto Pellegrini, diretor da Megacycle. O mercado de motopeças de reposição tem forte presença de componentes trazidos da Ásia. A empresa XMoto traz componentes como baterias, câmaras de ar, kits de relação final (formados por corrente, coroa e pinhão) e painéis de instrumentos. “Nosso catálogo tem mais de mil itens”, afirma o gerente comercial Rafael Dannemann. “Ainda é cedo para falar de fábrica no Brasil, mas é uma tendência no futuro”, acredita. A XMoto fica no Paraná e concorre diretamente com a Protork, uma gigante instalada no Sul do País, mas com forte presença em todo o País no mercado de componentes e acessórios para o segmento de duas rodas. Entre os fabricantes de componentes está a Unicoba, que lança no salão o navegador GPS Moto Rider, desenvolvido para motocicletas. O produto deve chegar ao mercado até o fim deste mês. A Unicoba também produz componentes para o setor: “Fornecemos baterias originais para as fabricantes Dafra e Kasinski”, afirma o gerente comercial da empresa, Edson Nagai. A Mobil, líder em lubrificantes para motocicleta no Brasil, montou um estande e terá pilotos distribuindo autógrafos durante o evento. Fonte: Márcio Curcio/Automorive Business.