Esta página pode utilizar cookies.
Warning (2): getimagesize(/uploads/images/imagem_195_2.png): failed to open stream: No such file or directory [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 44]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Warning (2): Division by zero [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]

O Facebook pretende introduzir nesta quarta-feira um recurso para facilitar que pessoas afetadas por desastres se encontrem para fornecer e receber ajuda. A rede social disse que o "Community Help" será ativado após desastres naturais e acidentes graves, como parte do "Safety Check", recurso do Facebook que permite aos usuários assegurar a outros que estão fora de risco.

A empresa criou uma seção onde as pessoas próximas uma das outras podem oferecer abrigo após um incêndio florestal, procurar comida depois de um terremoto e atender outras necessidades imediatas de forma organizada.

Com 1,9 bilhão de usuários mensais até dezembro, o Facebook, lançou o Safety Check em 2014, mas a verificação da função tem falhado algumas vezes.

No ano passado, após um atentado suicida no Paquistão, usuários até de Nova Iorque receberam notificações perguntando se estavam a salvo. Outros disseram que estavam alarmados por mensagens de texto vagas para telefones móveis que perguntavam: "Você foi afetado pela explosão?"

A verificação de segurança foi usada pela primeira vez nos Estados Unidos em junho após um atirador massacrar 49 pessoas em uma boate em Orlando.

Para fazer o Community Help, o Facebook disse ter consultado entidades de ajuda de emergência, como a Cruz Vermelha.

O Community Help deve ser usado primeiro para as catástrofes naturais e incidentes como incêndios, não para fuzilamentos em massa ou bombardeios. Inicialmente, o recurso estará disponível apenas para EUA, Austrália, Canadá, Índia, Nova Zelândia e Arábia Saudita. O Facebook disse que pretende expandir para outros países e outros tipos de incidentes após o teste.