Brand Experience

Marcas, corram que dá tempo!!!


8 de Fevereiro de 2020

Estamos falando de homens, mulheres e crianças que participam de corridas e movimentam não só o circuito de eventos da prática esportiva, mas por conseguinte, o mercado de moda, academia, assessoria, nutrição, turismo (Cia. aérea, hotéis, restaurantes, transporte), planos médicos, enfim, a cadeia é bem ampla. 

Esse grande interesse por correr pode ser pela busca por exercícios, pela facilidade de prática (rua/parque/tênis), pela oferta de instrutores especializados por intermédio das assessorias esportivas, seja para a pessoa física ou pessoa jurídica, baixo custo e até como muitas pesquisas apontam, para socializar. 

Os eventos de corrida tornaram-se grandes pontos de contato que muitas marcas aproveitam para se relacionar, sejam elas endêmicas ou não. 

Com a diversidade de tipos é preciso entender qual mais se adequa à sua linguagem para buscar sinergias, afinal temos: Corridas de 5km-42Km195m*, femininas, infantis, noturnas, temáticas, comemorativas, individuais/revezamento, com balada, em pontos turísticos, divertidas, beneficente, proprietária, enfim, em alguma dessas sua marca deve se encaixar. E devemos considerar que em muitas corridas temos o acompanhante que também pode ser abordado.  

Temos várias fases e oportunidades para criar ações de live marketing, ativando patrocínios na divulgação, na retirada dos kits, antes/durante/depois da prova e tem muita marca trabalhando também com o endomarketing. 

Um exemplo 360° é o caso da Cosan (empresa brasileira especializada em setores como energia, logística e infraestrutura, como a Comgás, Raizen, entre outras), que nunca fez campanha publicitária, decidiu que a corrida seria seu carro-chefe patrocinando 110 corridas pelo Brasil, inclusive criando um método (corrida/caminhada/corrida) para auxiliar iniciantes ou minimizar lesões.  

Sem falar que incorporou seus 40.000 funcionários, dando suporte técnico e encorajando na participação e cortesias nas corridas. 

Eventos já estabelecidos como a corrida Track&Field com mais de 15 anos acontecendo, em 2018 fez uma parceria com o Santander, inclusive com um cobranding no nome. 

Foram 80 provas no ano passado, em mais de 10 Capitais, e com o apelo de ter largada em shopping center e suas facilidades e com benefícios para correntistas e com direito a uma versão vertical no Farol Santander – em um dos prédios mais icônicos com 578 degraus como desafio. 

O Banco se associou a uma proposta consolidada, com visibilidade, oportunidade de oferecer benefícios aos seus clientes e ganhar muitos outros. 

A Nike que é do mercado esportivo vem surpreendendo não com os eventos propriamente ditos, mas trazendo conteúdo de maneira especial, seja estimulando três grandes corredores a bateram o recorde de uma maratona em menos de 2 horas. 

Num primeiro projeto a parceria foi com a National Geografic num documentário que contava essa saga toda, e, em outubro do ano passado, junto com um marca farmacêutica inglesa – Ineos, criou um desafio e Kipchoge – atleta queniano que ganhou a maratona Rio 2016, conseguiu o feito de correr os 42k em 1h, 59min 40seg. 

Mesmo não sendo reconhecido pela IAAF, a Nike mostrou e testou sua linha  Vaporfly que tem um placa de carbono no solado e promete uma economia de 4-6% de energia na corrida. Melhor vitrina que este desafio, para provar sua eficiência não existe. Veja aqui

O mundo das corridas tem adeptos garantidos, frequência grande de versões, propostas diferenciadas de apelos de público e temas.

Marcas podem e devem se aproveitar mais delas, seja como proprietárias ou como parceiras e apoiadoras das versões já existentes. Corre que ainda dá tempo !!! 

 

*O soldado Pheidippides precisava ir até Atenas para contar que a guerra havia acabado, em 490 a.C.Ele saiu da cidade grega de Maratona e correu 40 quilômetros, até Atenas.Chegou, contou sobre o fim da guerra e morreu. Muitos anos depois, a maratona se tornou uma prova da Olimpíad, porém quando os Jogos Olímpicos foram realizados em Londres, em 1908, a Família Real exigiu que a corrida passasse pelo Castelo de Windsor, com isso foi preciso aumentar o percurso em 2.195 metros, assim, a partir daquele ano, a maratona passou a ter 42.195 metros.

** Dados: Mercado de Corridas – Sebrae Inteligência Setorial/ Racers / Relevance Consultoria

Tags: artigo | marketing-esportivo | corridas-de-rua | líbia-macedo | experiência-de-marca