Controlar a quantidade de sal e açúcar que ingerimos é tarefa importante para quem preza por uma alimentação balanceada. Para este tipo de público alimentos multiprocessados e industrializados dificilmente entram ou compõe pratos (e copos).

Ação impactante cria estátuas de crianças feitas com açúcar na Times Square

24/08/2017

Controlar a quantidade de sal e açúcar que ingerimos é tarefa importante para quem preza por uma alimentação balanceada. Para este tipo de público alimentos multiprocessados e industrializados dificilmente entram ou compõe pratos (e copos).

Isso, porque eles costumam vir com quantidades de sal e açúcar embutidos. Aquelas caixinhas de suco, por exemplo, ao contrário do que se pode pensar, muitas vezes podem conter mais açúcar do que alguns tipos de refrigerante.

Pensando na questão do consumo, a Kind quer que você saiba que as crianças estão tomando muito açúcar adicionado - ao mesmo tempo que promove um de seus produtos, o Kind Fruit Bites.

Com estátuas de crianças em “açúcar”, de mentira para não atrair insetos, a instalação mostra que a criança americana média consome cerca de 29 quilos de açúcar adicionado a cada ano em alimentos e bebidas. O que é aproximadamente o peso médio de uma criança de nove anos de idade.

Junto com as estátuas existe uma instalação de arte temporária que parece 45 mil libras (algo próximo a 20 mil quilos) de açúcar, "o valor que as crianças dos EUA comem a cada cinco minutos", diz Drew Nannis, chefe de comunicações integradas de Kind.

Os produtos da empresa de snacks contém frutas, nozes e sementes, muitas das suas barras contêm açúcar e algumas também possuem xarope de glicose. "Não temos nada contra o açúcar", disse Nannis.A instalação é para promover produtos como o Pressed by Kind bars e Kind Fruit Bites que são feitos sem adição de açúcar. E Kind diz que quer que os pais conheçam a verdade cruel: que alguns lanches de frutas feitos por rivais contêm açúcar adicional.

Stephanie Perruzza, RD, especialista em saúde e bem-estar da Kind também falou sobre o movimento: "Espero que incentive os consumidores - especialmente os pais - a fazere, escolhas alimentares mais bem informadas”. 


Fonte:: Redação