Diante da instabilidade econômica que atinge o Brasil, a ideia de encontrar no mercado externo uma alternativa para garantir o crescimento dos negócios surge de maneira natural para a maioria dos empresários.

Brasil terá primeiro estande no maior evento de bebidas da China

02/10/2017

Diante da instabilidade econômica que atinge o Brasil, a ideia de encontrar no mercado externo uma alternativa para garantir o crescimento dos negócios surge de maneira natural para a maioria dos empresários.

Segundo especialistas, a porta de entrada certeira para atingir esse objetivo é, hoje, a China. De 12 a 14 de novembro, produtores brasileiros de vinhos, cachaças e cervejas artesanais poderão comprovar a força do comércio chinês durante a InterWine 2017, uma das maiores e mais importantes feiras do setor em todo o mundo, que pela primeira vez terá um estande exclusivamente voltado à exposição de marcas e fabricantes nacionais.

Com mais de 12 anos de sucesso e expositores vindos de países como França, Espanha, Itália, Chile e Estados Unidos, o evento será realizado na cidade de Guangzhou, capital da província de Cantão, no Sul da China. Considerada uma região estratégica, próximo de Hong Kong e de Macau, na famosa Região do Delta do Rio das Pérolas, é o local que mais rapidamente se desenvolve economicamente na China — o PIB já ultrapassa a marca de U$ 1,35 trilhão. Até 2030, a região terá 66 milhões de habitantes e um PIB de U$ 2.1 trilhões, com renda per capita de U$ 31 mil.

“Uma vez superadas as dificuldades causadas pela língua, diferenças culturais e demais aspectos, entrar no mercado chinês pode ser a maior oportunidade existente no momento, não apenas pelo tamanho e robustez da economia atualmente, mas principalmente pelas perspectivas para o futuro nos próximos anos”, destaca Claudio Melfi, sócio da Business Nesting Limited, que reunirá em um só estande as marcas e fabricantes brasileiros que marcarem presença na InterWine 2017.


Fonte:: Redação