O que esperar de 2019?

10/03/2019


Em 2018 tivemos um ano sem crescimento em comparação a 2017 para o varejo food service, com base nas mesmas lojas, nos dados coletados pelo IFB – Instituto Food Service Brasil.

Este número vem de uma queda de 2,2% no total de transações e um crescimento de 2,1% no ticket médio.

Porém, se analisarmos os semestres de 2018 notamos uma clara recuperação no segundo semestre, aonde houve um crescimento de faturamento de 1,9% com base nas mesmas lojas contra uma queda de 1,1% no primeiro semestre.

Este crescimento no segundo semestre de 2018 sobre o ano anterior se manteve em janeiro e fevereiro de 2019, mostrando que temos uma boa perspectiva para o ano 2019.

Vamos ver como vem março, pois temos o Carnaval, que em 2018 foi em fevereiro.

Aprendi uma máxima em minha experiência profissional, se o primeiro trimestre vai bem, há grandes chances do ano refletir os resultados de janeiro a março.

2019 começou com uma confiança maior. Muitas empresas estão tirando seus projetos da gaveta, o consumidor está mais confiante com as perspectivas para o país e parece que começaremos a sair da crise.

Temos que torcer para que os políticos que assumiram este ano correspondam às expectativas que colocamos neles na votação de outubro de 2018.

Apesar do campo econômico e político ter um peso importante para o crescimento dos negócios em 2019, não podemos ficar esperando tudo ficar bom para se mexer e fazer nosso negócio crescer.

Em um ano que promete mais, ainda não mostrou o tamanho da promessa, temos que ter foco em nossas atividades, ter feito um bom planejamento para o ano, definindo as metas e as ações foco para a empresa, construído um orçamento enxuto e ter capacitado o time para uma alta produtividade.

E ao longo do ano,  ter a disciplina para acompanhar tudo o que foi definido para dar foco no que está performando e mudar rápido as ações sem resultados.

Pelo que tenho visto no mercado, as ações que estão gerando resultado, são aquelas com foco em atrair novos clientes e fidelizar os atuais por meio de uso de ferramentas de tecnologia.

No mercado de food service o delivery vem crescendo exponencialmente com os apps de delivery (Ifood, UberEasts, Glovo, Rappi entre outros), as torres de autoatendimento em vários restaurantes fast-foods vem agilizando o atendimento, a compra e aumento o ticket médio e os apps de compra on-line vem crescendo nos shoppings com alto fluxo no almoço e uma praça de alimentação com capacidade inferior a demanda.

Ou seja, o consumidor novo está em busca de um atendimento diferente, mais ágil e dentro da sua nova linguagem dentro dos smartfones.

Desta forma, o sucesso e o crescimento certamente virá para aqueles que estiverem dentro das novas tendências e formatos, saindo na frente, arriscando e tendo o seu cliente como principal foco.

Bom 2019 a todos!!! Eu estou confiante e já inaugurando novos restaurantes desde janeiro.

TAGs: artigo marcelo-amarante varejo