Brasil entra na rota das aéreas de baixo custo

28/12/2018


A aérea low cost Norwegian já abriu vendas para os primeiros voos ligando o Reino Unido ao Brasil, com uma rota direta entre Londres e Rio de Janeiro (RJ).

As operações começarão a partir de 31 de março de 2019, com rotas às segundas, quartas, sextas-feiras e domingos.

Representantes da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) mantiveram, no decorrer do ano, contato com a cúpula da companhia norueguesa para ajudar na interlocução junto aos órgãos brasileiros.

Para Teté Bezerra, presidente do Instituto, a medida representa um importante passo na internacionalização do turismo brasileiro “E reforça a competitividade do turismo nacional, na medida em que permite a ampliação da oferta e a consequente redução do custo de passagens.”, afirma.

Em agosto deste ano, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) liberou a companhia norueguesa com base no Reino Unido para fazer o transporte aéreo internacional regular de passageiro, carga e mala posta no Brasil.

Desde outubro, a companhia Sky Airline, uma low cost chilena, opera voos de Santiago, no Chile, para Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis.

A Norwegian é a terceira maior entre as empresas aéreas de baixo custo da Europa, conhecidas como low cost. Além do Brasil, atualmente, a empresa oferece uma rede crescente de voos de longa distância entre Londres e 12 destinos populares nos Estados Unidos e na Argentina.

“Essa é uma importante vitória para o setor, pois oferece melhores condições para que mais turistas, estrangeiros e brasileiros, viajem mais pelo Brasil. Ganham os consumidores, os destinos turísticos, a indústria de viagens e o País.”, reforça a presidente Teté Bezerra.

Durante as ações promovidas ao longo do ano, a Embratur priorizou o aumento de conectividade com as companhias aéreas estrangeiras.

A agenda de reuniões e encontros teve como objetivo abrir portas para a inclusão de novos voos internacionais e a possibilidade de mais visitas de estrangeiros aos destinos turísticos brasileiros. As empresas aéreas de baixo custo são exemplos de como o Brasil está se abrindo para novas demandas.

A Norwegian já divulgou algumas tarifas. Os valores negociados partem de, aproximadamente, R$ 1.200,00 (equivalente a £240) por pessoa por trecho.

Bjorn Kjos, CEO do grupo Norwegian, destacou que a empresa está construindo uma extensa rede global com o lançamento dos voos mais acessíveis entre Reino Unido e Brasil, disponibilizando valores de baixo custo a consumidores da América Latina.

“Nossa nova rota no Rio de Janeiro quebra o monopólio dos voos diretos entre o Reino Unido e o Brasil, já que estamos comprometidos em reduzir as tarifas e tornar as viagens mais acessíveis para turistas e viajantes de negócios. O Brasil é uma adição fantástica à nossa rede global e estamos ansiosos para receber os clientes a bordo do 787 Dreamliners e entregar um serviço premiado, a uma tarifa acessível.”, completou ele.

De acordo com a Diretoria de Inteligência Competitiva e Promoção Turística da Embratur, responsável pelo balanço da malha aérea mensal do Brasil, a expectativa é de que o novo voo low cost da companhia norueguesa incremente US$ 29 milhões (R$ 117 milhões) na economia brasileira dentro de um ano. 

“A conta é realizada a partir do número de assentos que a aeronave suporta vezes o valor do gasto do turista estrangeiro no Brasil, a partir da média de permanência do viajante internacional nos destinos turísticos do País.”, explica o coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo do Instituto, Alisson Andrade.

A Norwegian foi classificada como a companhia aérea mais eficiente em combustível em rotas transatlânticas pelo Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT) e tem uma das frotas de aeronaves mais recentes do mundo, com uma idade média de 3,7 anos.

Os voos garantidos partirão de países como Israel, Itália, Holanda, Portugal, França, Reino Unido, Argentina, Bolívia, Equador, Chile, Paraguai e Estados Unidos.

São 54 novas ofertas e 44 frequências adicionais. Ao todo, serão 144 frequências semanais, somadas ao que já operam regularmente entre os destinos internacionais e o Brasil.

Fonte: Redação.

TAGs: