No Palco Principal, a abertura do festival no dia 13 de outubro, sexta-feira, será com a estreia de ‘A Tragédia e Comédia Latino-Americana’, projeto de Felipe Hirsch, com um grande elenco de artistas chilenos, argentinos e por atores brasileiros como Julia Lemmertz e Caco Ciocler.

Tony
 

Tempo Festival faz ocupação inédita no Theatro Municipal

11/10/2017

No Palco Principal, a abertura do festival no dia 13 de outubro, sexta-feira, será com a estreia de ‘A Tragédia e Comédia Latino-Americana’, projeto de Felipe Hirsch, com um grande elenco de artistas chilenos, argentinos e por atores brasileiros como Julia Lemmertz e Caco Ciocler.

Estruturado a partir de textos de diversos autores de 09 países latino-americanos e do cenário sócio-político do continente, o espetáculo conta com os seis integrantes do grupo Ultralíricos Arkestra, que vão executar ao vivo a música escrita e arranjada para o projeto por Arthur de Faria. Daniela Thomas e Felipe Tassara assinam a direção de arte.

O Palco Principal recebe também a sul-africana Ntando Cele, com ‘Black Off’, produção suíça que mistura comédia stand-up, concerto de rock e performance, com texto arrebatador e interativo sobre que enfrenta estereótipos impostos pela segregação racial.

Antes da apresentação, acontecerá no Assyrio, em parceria com o TEMPO_FESTIVAL, o lançamento do programa ‘Coincidência - Trocas Culturais entre a Suíça e a América do Sul’, parte das ações da Fundação Suíça para a Cultura Pro Helvetia, que terá duração de três anos e pretende estabelecer residências artísticas pela América do Sul.

No foyer do Balcão Nobre, a autora e atriz brasileira Ana Abbott apresenta uma leitura dramatizada de ‘A Vida Acontece no Pântano’, sobre um casal de biólogos, vividos por ela e por Michel Blois, cuja relação se assemelha simbolicamente a um pântano, misterioso, perigoso.

O Salão Assyrio abrigará a estreia mundial da peça ‘Aquilo Que Mais Eu Temia Desabou Sobre Minha Cabeça’, melodrama contemporâneo de Pedro Kosovski e Sjaron Minailo, que tem como ponto de partida a história bíblica do Livro de Jó. O carioca e o diretor de óperas holandês se conheceram em 2016 durante o projeto HOBRA, idealizado pelo TEMPO_FESTIVAL em parceria com o Dutch Performing Arts Fund. Durante a residência artística Holanda Brasil, a dupla realizou outro projeto teatral e logo depois começou a concepção desse novo. “O espetáculo propõe uma imersão sensorial, uma sinfonia de sonoridades da palavra em si e frases instrumentais”, reflete Bia Junqueira.

Localizada no anexo do teatro e com capacidade para 159 pessoas, a Sala Mário Tavares vai receber a segunda temporada da mostra de vídeos ‘Ato e Efeito’, parceria do jornalista e crítico teatral Rafael Teixeira com a produtora tocavideos, dos filmmakers Fernando Neumayer e Luís Martino. Diante das câmeras, artistas como Lázaro Ramos, Marcos Caruso, Inez Viana, Kelzy Ecard e Bianca Byington interpretam trechos de importantes obras clássicas.

No camarim do Theatro Municipal, a editora Cobogó, de Isabel Diegues, lança a segunda edição do livro ‘BR-Trans’, escrito pelo ator Silvero Pereira, que reúne histórias reais e ficcionais de travestis e transexuais misturadas à sua própria história de vida.

“Como realizar um Festival no contexto do Brasil de hoje foi o nosso questionamento durante muitos meses, e buscamos mediar a relação entre o artista, a obra e o público de forma inédita”, diz Márcia Dias, que comemora a conquista do patrocínio da Petrobras: “A novidade deste ano foi termos conseguido o patrocínio da Petrobras, que foi decisivo pra realização da Edição 2017 do festival. Apesar da crise, a Petrobras investe um valor significativo na cultura porque entende o patrocínio como um potente instrumento de comunicação. “
 


Fonte:: Redação