Shows, concertos instrumentais, mostra de cinema e programação educativa passam por cinco cidades brasileiras.

AVERA
 

Marcas se aliam ao MIMO Festival

10/11/2017

Começa nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, o MIMO Festival, no Rio de Janeiro. O maior evento de música gratuito no país vai além dos shows e concertos instrumentais, e traz para o público, também, mostra de cinema e uma programação educacional, com workshops de grandes músicos e fóruns de ideias.

Esse ano, o MIMO é apresentado pelo Ministério da Cultura, Bradesco e Cielo e passa pelo Rio de Janeiro (de 10 a 12 de novembro) e Olinda (de 17 a 19 de novembro). Foi apresentado, ainda, em Paraty (de 6 a 8 de outubro) e em versão reduzida de circuito em Tiradentes (28 e 29 de setembro) e Ouro Preto (29 e 30 de setembro). Uma marca segue carregada: sempre é realizado em cidades consideradas patrimônios culturais.

Esse é o 14º ano do festival, que foi realizado pela primeira vez em 2004 em Olinda. Em 2016, movimentou um público de cerca de 200 mil pessoas nas cidades por onde viajou. Realizado por Lu Araújo Produções e Musickeria, o MIMO Festival conta ainda com o patrocínio do BNDES e HERO – Serviço de Segurança Digital promovido pela FS, tem como parceiras a Prefeitura de Paraty e Olinda, além de contar com a Azul Linhas Aéreas como companhia Aérea Oficial e Minalba como Água Oficial, apoio da Estácio e 99.

O festival chega em terras brasileiras depois de carimbar o passaporte duas vezes em 2017. Esteve pela segunda vez em Amarante, em Portugal, onde reuniu cerca de 60 mil pessoas, e pela primeira vez em Glasgow, na Escócia, numa parceria com o Celtic Connections.

Atrações do Rio de Janeiro

O grupo de rock México-Brasil francisco, el hombre e os rappers do projeto “Língua franca”, Emicida, Capicua e Rael, ambos recém-indicados ao Grammy Latino, e o carismático cantor e compositor baiano Russo Passapusso, conhecido por misturar rap e dub à guitarra baiana, estão entre as novidades do palco carioca, assim como a apresentação do Sons de Sobrevivência, com o duo de percussão Soukast e o pianista Benjamim Taubkin.  Criolo é headliner no Rio e o pernambucano Otto encerra o festival de 2017 em grande estilo em Olinda, apresentando seu novo álbum, “Ottomatopeia”.

Entre outros destaques, estão confirmadíssimos o cineasta e músico Emir Kusturica & The No Smocking Orchestra, da Sérvia, que marcarão presença na capital carioca e na cidade-patrimônio pernambucana. E ainda a jovem francesa Laura Perrudin, que com uma harpa cromática eletrificada, mistura jazz, hip hop, soul e música eletrônica; o violinista e fantástico improvisador francês Didier Lockwood, com seus mais de 40 anos de carreira, 4 mil apresentações e turnês pelo mundo; o excepcional trio africano 3MA, formado pelo renascentista Rajery com sua valiha, o mágico da kora BallakéSissoko e o incrível oudista Driss El Maloumi; o instrumentista, compositor e cantor de Mali Vieux Farka Touré, que foi considerado pelo jornal inglês “The Guardian” “o novo herói da guitarra africana”; o coletivo Ondatrópica, da Colômbia, que, com um pé na tradição e outro na modernidade, vai da cúmbia ao hip hop, passando pelo funk, dub, jazz e ska; o roqueiro português Manel Cruz, que ganhou notoriedade, na década de 1990, como integrante da cultuada banda Ornatos Violeta e faz a sua estreia no Brasil.

O Festival MIMO de Cinema ocorre paralelamente à programação musical e é inteiramente dedicado a produções inéditas que tenham como fio condutor a música. Um dos destaques da programação neste ano será o filme convidado ”Na Via Láctea”, do cineasta e músico Emir Kusturica, que marca a primeira colaboração entre o diretor sérvio e a atriz Monica Bellucci. Ainda inédito no Brasil, o  filme será exibido na noite de abertura do festival  e contará com a presença do renomado cineasta para apresentar a sessão.     

Este ano, a Chuva de Poesia, que já virou uma tradição no festival, se dedica a poetas mulheres de diversas partes do mundo, como as brasileiras Ana Cristina Cesar, Hilda Hilst, a portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, a russa Marina Tsvietáieva, a americana Emily Dickinson, as japonesas Chiyo-ni e Sono-jo e a Instapoeta indiana radicada no Canadá Rupi Kaur.

“Todas as atividades convidam à reflexão sobre a diversidade da produção artística mundial. Os concertos, o Festival MIMO de Cinema, a Etapa Educativa e todas as outras ações se complementam, para que a música seja a protagonista”, afirma Lu Araújo, diretora e idealizadora do MIMO Festival


Fonte:: Redação