Apesar de já ter assumido há duas semanas a editoria da revista Ela do jornal O Globo, o jornalista Bruno Astuto assinará em dezembro uma das mais significativas mudanças do suplemento desde que foi criado, há 54 anos.

AVERA
 

Infoglobo renova Ela em dezembro com Bruno Astuto

22/11/2017

Apesar de já ter assumido há duas semanas a editoria da revista Ela do jornal O Globo, o jornalista Bruno Astuto assinará em dezembro uma das mais significativas mudanças do suplemento desde que foi criado, há 54 anos.

O projeto foi apresentado esta terça, 21/11, no auditório do Globo, pela diretora comercial do Infoglobo, Virginia Any, e Astuto (foto), lançando o conceito do “Planeta Ela”, ou seja um conjunto de plataformas — impressos, digitais e eventos — que atuarão integradamente para seus leitores e anunciantes.

A principal alteração é que, já no sábado, 9 de dezembro, desaparece o caderno Ela no formato standard, que foi a origem da publicação. No dia seguinte, domingo, porém, a revista, tendo o verão como tema, chega totalmente repaginada, desde o logo (revelado na foto desta matéria) e a capa (que o divertido Bruno não deixou que fotografássemos para não estragar a surpresa!) até a própria equipe de colaboradores, que ganhará dois novos colunistas, cujos nomes também estão sendo guardados a sete chaves pelo editor.  Mas que, segundo o blog da jornalista Renata Suter, incluiria a conhecida Danuza Leão.

De qualquer forma, conseguimos notar, pela apresentação, que a nova diagramação abandona a fracassada ideia do último projeto de abrir brancos nas páginas e acabar prejudicando a leitura do texto. Bruno Astuto quer um conteúdo colorido e de leitura fácil, cheio de fotos e dicas.

De acordo com Astuto, a plataforma Planeta Ela vai se basear no tripé moda-decoração-gastronomia, que ele garante ainda atrair leitores da mídia impressa.

— Nada de celebridades. Como costumo dizer, celebridade hoje é como pornografia: Tem muito e de graça na internet — brincou.

O novo editor de Ela foi enfático ao considerar um erro a atenção que o mercado anunciante vem dando para as chamadas “digital influencers”:

— De que adianta saber que a blogueira atinge cinco milhões de pessoas se a gente não sabe quem são e quantas têm poder de compra? Muito melhor é pensar em meios que atinjam nichos comprovados — alfinetou, citando que a revista Ela é a verdadeira influenciadora da mulher carioca. De acordo com pesquisa apresentada por Bruno Astuto, a publicação tem hoje 432 mil leitoras, das quais 407 mil exclusivas, ou seja, que não leem outras revistas femininas. 


Fonte:: Redação