Nos dias 6, 7 e 8 de outubro, Curitiba vai se transformar na capital brasileira das danças árabes, que compreendem a dança do ventre e modalidades de danças folclóricas orientais.

Festival transformará Curitiba na capital das danças árabes

20/09/2017

Nos dias 6, 7 e 8 de outubro, Curitiba vai se transformar na capital brasileira das danças árabes, que compreendem a dança do ventre e modalidades de danças folclóricas orientais.

Com diversas atrações concentradas no Shopping Novo Batel – nos teatros Fernanda Montenegro, Paulo Autran e João Luiz Fiani –  a quinta edição do Hathor – Festival Internacional de Danças Árabes apresentará uma programação variada voltada tanto aos bailarinos e estudantes da dança oriental quanto aos apaixonados pela dança e artes em geral com concursos, premiações e gala show.

E no último dia do evento, na SUBRAS – Sociedade Ucraniana do Brasil, durante todo o dia, ainda será realizado um grande workshop com todos os profissionais envolvidos. Pela primeira vez desde seu princípio em 2013, o evento é patrocinado pela Copel, via PROFICE, lei estadual de incentivo à cultura.

Idealizado e dirigido pela coreógrafa, bailarina e produtora cultural Linda Hathor, o Hathor Festival já é considerado um dos eventos mais expressivos do segmento no Brasil. Para reafirmar essa posição, este ano trará ao palco curitibano Saida Helou, intitulada a rainha da dança oriental. Com 30 anos de carreira e reconhecida por um estilo único, Saida já levou sua arte aos quatro cantos do mundo e hoje dirige uma escola com mais de 700 alunos.

Ela ministrará workshop no Domingo dia 8 e fará uma apresentação única no sábado, dia 7 de outubro, no Gala Show, que também contará com outros grandes profissionais expoentes das danças árabes numa exibição de técnica e sensibilidade. O Gala Show será realizado no Teatro Fernanda Montenegro, às 21 horas e os ingressos custam R$ 35 e podem ser adquiridos no site www.hathorfestival.com.

Ainda no quadro de estrelas do Hathor Festival, estarão grandes mestres e estudiosos da dança e cultura árabe do Brasil como Marcia Dib – mestre e pesquisadora em Cultura Árabe pela USP; Anderson Lível – Especialista em Dabke Palestino, coreógrafo e pesquisador da Cia de danças El Funoun de Manaus e Bicampeão brasileiro pelo Mercado Persa; Rossana Mello – professora de nível internacional e uma das maiores pesquisadoras do estilo egípcio de nosso país, diretora do Espaço La Luna de Ribeirão Preto; Anthar Lacerda – mestre paranaense e grande estudioso de musicalidade e folclore egípcio; Maíse Ribeiro pioneira das danças árabes Juliana Marques – bailarina internacional e a grande campeã do prêmio Hathor em 2016; o Grupo brasileiro Mil e Uma Noites campeões mundiais de dabke no World Dabke Championship no Líbano em 2017, além de bailarinos profissionais convidados das 5 regiões do Brasil. Espetáculo da arte da dança oriental em nosso país.


Fonte:: Redação