A sétima edição do Quilt & Craft Show começa na quarta-feira (6) no ExpoUnimed e terá cursos de várias técnicas de costura e artesanato

Evento em Curitiba é oportunidade para transformar artes manuais em fonte de renda

05/09/2017

Começa na quarta-feira (6), véspera de feriado, a 7.ª edição do Quilt & Craft Show, um dos maiores eventos de patchwork e artes manuais em tecidos do Brasil. Além de exposições e mostras de artistas de renome nacional e internacional, o evento terá uma série de cursos de capacitação, alguns gratuitos, o que faz dele uma oportunidade para quem quer fazer das artes manuais uma fonte de renda.

No total, são esperados 13 mil visitantes até o sábado (9), dia em que o evento termina. “A maioria do público é de mulheres com mais de 40 anos de idade. São mulheres que veem na costura e nas artes manuais uma segunda fonte de renda ou mesmo que querem se aprimorar para empreender ou crescer nessa área”, diz Emília Aoki, organizadora do Quilt & Craft Show.

Durante os quatro dias, mais de 70 caravanas (grupos de mais de 15 pessoas) dos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais participarão do evento.
Crise e valorização dos trabalhos manuais impulsionam setor

Segundo Emília, há uma combinação de fatores para o crescimento desse mercado no Brasil, que passa não só pela crise, que faz com que as pessoas procurem alternativas de renda que exigem baixo investimento, mas também por uma valorização dos trabalhaos manuais na contramão da massificação industrial do vestuário.

“Quando a entrada dos produtos chineses cresceu, nós [artistas, costureiros, artesãos] ficamos preocupados com o efeito que isso teria, principalmente em relação ao preço baixo desses produtos. O que se percebe hoje é que há todo um movimento justamente na direção contrária, de valorização do trabalho manual e dos produtos locais. Isso também está fazendo com que esse mercado cresça e com que as pessoas busquem mais profissionalização”, conta Emília.

A difusão de blogs, páginas nas redes sociais e canais no YouTube dedicados à costura, ao artesanato e às artes manuais como um todo também tem colaborado para colocar esse mercado em evidência, tanto para quem deseja empreender quanto para os consumidores.

O investimento nos cursos pagos do 7.º Quilt & Craft Show varia de R$ 60 a R$ 360. Nomes de renome nacional e internacional estão entre as presenças confirmadas: Kumiko Nayama ministrará cursos sobre Boutis(tradicional técnica provençal francesa); Ana Paula Brasil, especialista em quilt, abordará “As releituras dos girassóis de Van Gogh” em um de seus workshops; e Suley dos Santos Silva ensinará a “Renda Renascença”.

A programação ainda terá Lee Albrecht, com iniciação ao bordado hardanger; Kátia Callaça, com artesanato urbano nos cursos “Eat Me” e “Drink Me”; Mariah Rodak, com “Boneca em tecido Tilda Dama Antiga”; e Teresa Barreto, com “Festa das flores bordadas” e “Oficina bola da felicidade”.
Como transformar fazer do bico algo mais sério

Não subestimar um hobby é um dos principais conselhos dos especialistas quando o assunto é reforçar o orçamento. Ainda no início de 2017, o Sebrae preparou uma lista com nove áreas promissoras para quem está interessado em empreender neste ano. Para fazer o estudo, a entidade analisou os segmentos com maior taxa de natalidade em 2016 e que devem continuar com demanda em alta, mesmo em momento de queda na renda e consumo em baixa.

Destas áreas, o consultor João Luís de Moura separou para a Gazeta do Povo, no último mês de julho, três áreas que podem começar como um hobby e evoluir para uma atividade extra ou mesmo para um negócio. O vestuário, incluindo tanto a confecção quanto a venda de roupas e acessórios, é uma dessas três áreas selecionadas pelo consultor.

Na ocasião, Moura também ajudou a reportagem a listar 5 passos para avaliar se o hobby tem potencial para ser uma segunda fonte de renda e, no futuro, um negócio.

Como participar do evento

O 7.º Quilt & Craft Show será realizado no ExpoUnimed (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido ), entre os dias 6 e 9 de setembro, das 13h às 20h. As inscrições antecipadas nos cursos pagos foram encerradas no dia 28 de agosto, mas a maioria das vagas costuma ser preenchida apenas na abertura do evento, nas inscrições presenciais.

As entradas do evento (R$ 20 a entrada inteira, R$ 10 a meia) podem ser adquiridas com antecedência nas lojas Retalharte e Patchê. Quem pagar por um curso terá também a entrada no evento garantida para o mesmo dia.

Para os workshops gratuitos, patrocinados pela Círculo, não haverá inscrições antecipadas. As vagas são limitadas e definidas por ordem de chegada.

Todas as informações do evento podem ser encontradas no site http://www.quiltshow.com.br/curitiba/

Abaixo, os workshops gratuitos do evento:

06/09 – quarta-feira 

13h30 às 15h: Porta Kit Costura – Karla Barbosa | 30 vagas

15h15 às 16h45: Jogo Americano de Natal – Sinelma Barcelos | 25 vagas

17h às 18h30: Filtro dos Sonhos – Lu Gastal | 30 vagas

07/09 – quinta-feira 

13h30 às 15h: Filtro dos Sonhos – Lu Gastal | 30 vagas

15h15 às 16h45: Mug Rug Cinco Minutos – Sinelma Barcelos | 25 vagas

17h às 19h30: Crochê – Cláudia Maria |30 vagas

08/09 – sexta-feira 

13h30 às 16h: Tricô – Cláudia Maria | 30 vagas

16h15 às 17h45: Jogo Americano de Natal – Sinelma Barcelos | 25 vagas

18h às 19h30: Porta Kit Costura – Karla Barbosa | 30 vagas

09/09 – sábado 

13h30 às 15h: Porta Kit Costura – Karla Barbosa | 30 vagas

15h15 às 16h45: Aplicação com Termocolante – Sinelma Barcelos | 25 vagas
 


Fonte:: Tribuna