Equipamento será construído pelo Município em terreno do Aeroclube

Novo Centro de Convenções ficará pronto em 2019 e terá área para shows

24/10/2017

A capital baiana vai passar a contar com um Centro de Convenções. O equipamento, anunciado pela Prefeitura, vai ocupar uma área total de mais de 100 mil m2 , e será erguido no local em que funcionava o antigo Aeroclube, na orla da Boca do Rio. Ele terá capacidade para receber 14 mil pessoas em congressos e convenções. A área total construída será de 78 mil m2.

O local contemplará ainda dois espaços para shows com capacidade para 20 mil pessoas cada, sendo um na parte interna do equipamento e outro na área externa. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (23) pelo prefeito ACM Neto e pelo secretário de Desenvolvimento Urbano, Guilherme Bellintani.

O novo Centro de Convenções contará ainda com oito auditórios de mil m2 , 16 salões de 400 m2 e 30 salas de reuniões. Já o estacionamento terá capacidade para mais de mil veículos.

A previsão é que a licitação para a realização da obra e operação do equipamento aconteça ainda este ano, no mês de dezembro. Já o início das intervenções devem ocorrer em abril de 2018, com previsão de conclusão até janeiro de 2019, quando o novo espaço de eventos da cidade deve começar a operar.

Segundo o secretário Guilherme Bellintani, o Município vai abrir um edital de concessão para escolha do operador privado que vai gerir o novo Centro de Convenções por um período determinado. O tempo da concessão ainda não foi definido, mas a estimativa é de que seja de 20 anos.

Ainda de acordo com a Prefeitura, o investimento previsto é de R$ 93 milhões na construção. Além desse montante, a empresa que vai operar o espaço entrará com outros R$ 30 milhões para serem investidos em equipamentos.

"É o que vai ajudar a equacionar os investimentos. A gente vai ter uma gestão inteiramente privada. Não há a menor hipótese de a Prefeitura administrar isso", explicou o prefeito.

    "Eu acompanhei nos últimos quatro anos o drama do trade turístico e estava muito claro que tínhamos dois grandes problemas: a situação do Aeroporto, que agora está bem encaminhada, e a questão do Centro de Convenções. Precisávamos buscar o turismo de negócios e o caminho possível era a construção do Centro de Convenções", complementou o prefeito ACM Neto.

"Fizemos um estudo de modelos construtivos e modelos de operação de centros de convenções no mundo inteiro. Foi um trabalho feito em segredo, sem nenhuma divulgação, mas um trabalho muito árduo, muito profundo de análise. Teremos um Centro de Convenções do tamanho que Salvador precisa, capaz de abrigar os grandes eventos que Salvador já teve", adiantou Bellintani.
 


Fonte:: Redação