A produção artística mineira invadiu o Palácio das Artes, no Centro de Belo Horizonte. É a terceira edição do programa Arteminas. São exposições individuais que têm em comum uma proposta discursiva de transgressão e questionamento.

Evento reúne produções variadas no Palácio das Artes

08/09/2017

A produção artística mineira invadiu o Palácio das Artes, no Centro de Belo Horizonte. É a terceira edição do programa Arteminas. São exposições individuais que têm em comum uma proposta discursiva de transgressão e questionamento.

Pedro Moraleida morreu aos 22 anos e deixou um enorme acervo de pinturas, desenhos, esculturas, textos, vinhetas musicais e radiografias. Suas obras são marcadas por um enfrentamento das tendências artísticas presentes em Minas Gerais e no Brasil.

O trabalho de Randolpho Lamonier reúne diferentes mídias como fotografia, pintura, desenho, vídeo, tapeçaria e instalação. A exposição contempla também a vivência do mineiro. Algumas peças trazem as histórias ligadas a Belo Horizonte, acerca do contexto periférico e do hipercentro da capital.

Além de Pedro Moraleida e Randolpho Lamonier, também foram selecionadas para edição deste ano da Arteminas, obras de Marta Neves e Desali. A exposição vai até o dia 19 de novembro.
 


Fonte:: Redação