O Favela Sounds - Festival Internacional de Cultura de Periferia chega à sua segunda edição em 2017 se abrindo ainda mais intensivamente para uma programação internacional, com artistas genuinamente de favelas, e traz à tona questionamentos referentes a processos migratórios e deslocamentos humanos.

Favela Sounds anuncia edição 2017

04/11/2017

O Favela Sounds - Festival Internacional de Cultura de Periferia chega à sua segunda edição em 2017 se abrindo ainda mais intensivamente para uma programação internacional, com artistas genuinamente de favelas, e traz à tona questionamentos referentes a processos migratórios e deslocamentos humanos.

Entre os dias 30 de outubro e 4 de novembro de 2017, o festival leva ao público do Distrito Federal quatro oficinas, quatro debates e dois dias de baile, com shows de grandes expoentes da música de Favela do Brasil e do mundo na área externa do Museu Nacional. Xande de Pilares (RJ), Titica (Angola), Linn da Quebrada (SP), Baco Exu do Blues (BA), ABRONCA (RJ), Larissa Luz (BA), Telefunksoul (BA) e os DJs Darlly Matos (MA) e Iasmin Turbininha (RJ) são alguns dos nomes já confirmados para esta edição.

Em comum, todos os artistas têm origem nas periferias das capitais de onde vieram e atuam de forma expressiva em diferentes localidades do país com suas canções cheias de força.

O som do DF também será presença marcante na programação do Festival. Entre os representantes da capital estão Thabata Lorena, cantora maranhense radicada em Brasília, DJ Kacá, conhecido por ser um dos DJs de funk carioca mais atuantes da cidade, DJ Donna, representante de peso da black music nas pistas brasilienses, DJ Pati Merenda, adepta de sets festivos e pra lá de diversos, e Magu Diga How, rapper de São Sebastião.

Com patrocínio da Oi, por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal, apoio cultural do Oi Futuro e realizado pela Um Nome Produção e Comunicação, a programação do Favela contempla oficinas em diferentes regiões administrativas do DF. Coordenadas pela rapper e educadora Vera Verônika, as oficinas do Favela Sounds ganham o nome de Ralação. Já o momento Papo Reto é destinado a debates com artistas da programação do projeto, além de convidados especiais, em ações coordenadas pelo antropólogo Dennis Novaes.

 


Fonte:: Redação