Conar mantém punição por anúncio da Netflix

19/03/2019


Em dezembro de 2018, um anúncio da marca foi parar na reunião do Conselho de Ética do Conar.

A peça em questão havia sido veiculada em monitores de elevadores residenciais, em prédios da cidade de São Paulo, e fazia uma brincadeira para convidar o público a acompanhar as opções de séries da plataforma. “Hoje é dia de roubar o wi-fi do vizinho para maratonar”, dizia o anúncio.

Leia também: Netflix recebe punição do Conselho de Ética do Conar.

As principais novidades do universo da propaganda estão aqui.

Por considerar que aquela mensagem incitava um ato ilegal, um consumidor fez uma denúncia ao Conar, que abriu processo para analisar a peça.

Como defesa, a Netflix apresentou o argumento de que a linguagem do anúncio tinha “Óbvio bom humor” e não uma incitação a qualquer irregularidade. Apesar disso, o Conselho de Ética acabou concordando com o argumento do consumidor, determinando a sustação do anúncio.

A Netflix, no entanto, não se conformou com a decisão e recorreu novamente no processo, apresentando novos argumentos ao Conselho de Ética.

Tal prática é prevista no regulamento do Conar após a primeira sentença dada aos casos (primeira instância). Assim, o Conselho de Ética voltou a avaliar o anúncio em reunião realizada na semana passada, em São Paulo.

Apesar da tentativa, o argumento da Netflix não foi capaz de mudar a avaliação dos membros do conselho, que mantiveram a mesma sentença anterior: a sustação do anúncio.

Dessa maneira, a plataforma de streaming não pode voltar a exibir o anúncio nos monitores de elevadores ou em qualquer outra tela.

Fonte: Redação.

TAGs: