Aforismos em eventos: Um estímulo à ação

13/06/2019


Sempre fui apaixonada por sentenças impactantes, lembro-me das frases colocadas na lousa pelo professor de Filosofia para iniciarmos as aulas, ou da seção “entre aspas” da Seleções Reader´s Diagest (certamente minha idade será descoberta agora) ou mais recentemente da página com frases na revista Veja ou da Caras, ditas por celebridades e pensadores.

Na graduação descobri que o nome disso era Aforismo - forma de expressão sucinta de um pensamento que traz percepção e expressividade sobre a vida ou um tema específico.   

Hoje em dia, muito comum nas redes sociais, essas sentenças podem vir com um tom divertido, irônico, uma forma de dar indiretas para alguém, ou a materialização de pensamentos muitas vezes profundos, que auxiliam as pessoas a pensarem sobre questões importantes no seu dia a dia e ao seu redor.

Essa introdução toda, porque adoro colecionar frases instigantes, principalmente aplicadas ao setor de eventos. Listo algumas que escutei por aí para refletirmos um pouco:

“Evento é comunicação no estado sólido.” - J. Sachetti.

“ A ênfase agora não é na quantidade de pessoas, mas em pequenos grupos de pessoas certas e no seu engajamento.” – Dann Maumo.

“A medição de networking é o novo ROI dos eventos.” – Maurício Magalhães.

“Evento nasceu para dar errado, mas a gente faz tudo para dar certo.” - Alberto Moane.

“Quando você encanta pessoas, seu objetivo não é ganhar dinheiro com elas ou fazer com que façam o que você quer e sim preenchê-las com grande satisfação.” - Guy Kawasaki.

Algumas reflexões pessoais:

“Evento é comunicação no estado sólido” - J. Sachetti

Essa frase foi dita por um ex presidente da Apecate, a entidade de eventos de Portugal, faz mais de 10 anos, e foi o meu despertar para o aspecto experiencial dos eventos, que conseguem tangibilizar elementos de comunicação por intermédio da hospitalidade, da tematização, da surpresa, do face to face, do live marketing com tudo o que ele tem de mais genuíno.

“A ênfase agora não é na quantidade de pessoas, mas em pequenos grupos de pessoas certas e no seu engajamento.” – Dann Maumo.

Tendo como um dos grandes desafios conseguir trazer participantes para o nosso evento, que percebam a importância das empresas expositoras, das novidades nos produtos lançados, que apliquem conteúdos de palestras, que reverberem e certifiquem a importância do que foi apresentado.  O desafio pode ser até na quantidade, mas é preciso qualidade no mesmo, ainda mais em tempos de cocriação, onde todos somos agentes de ações de comunicação.

“A medição de networking é o novo ROI dos eventos.” – Maurício Magalhães.

Principalmente quando falamos de investimento, é natural que se queira mensurar a efetividade do investimento, o conceito trazido da área de finanças tem uma fórmula simples ROI = (Receita-Custo), que pode ser utilizada em eventos, mas não necessariamente traz a tradução da efetividade que elementos intangíveis têm.

Considerando os tempos atuais, nesse cotidiano over digital, criar a oportunidade de face to face é um dos diferenciais competitivos, pois as pessoas não fazem mais reunião, não atendem telefone, não marcam reuniões... enfim, no máximo conseguimos um pitch via WhatsApp. Frequentar eventos é a oportunidade de criar e manter contato com prospects, clientes, mídia, fãs e outras tribos. 

“Evento nasceu para dar errado, mas a gente faz tudo para dar certo.”- Alberto Moane.

Se entendermos que evento é a ciência dos detalhes (frase minha!), a probabilidade de não pensarmos em algum deles é grande. Planejamento, equipe eficiente, uma boa dose de experiência é fundamental, mas caso algo passe despercebido é necessário ter tranquilidade e ferramentas para tomar uma decisão precisa e rápida. Não acredito que eventos tenham que ter plano A ao E, ele precisa de um plano A perfeito, amplamente arquitetado e que se algo acontecer fora do previsto tenhamos feeling e ferramental para uma pronta decisão.  

“Quando você encanta pessoas, seu objetivo não é ganhar dinheiro com elas ou fazer com que façam o que você quer e sim preenchê-las com grande satisfação.” - Guy Kawasaki.

Encantamento entendido como uma forma de chamar a atenção, trazendo foco e até estranhamento, é o desafio do gestor de eventos. Pode ser algo num formato, mas apresentado de forma diferente com uma simples espuma de café com a imagem de seu rosto ou com a apresentação de uma pesquisa por meio de um rap, como a Marina Pechlivanis provocou o pessoal do Instituto Favela da Paz a fazer, e que foi traduzido lindamente numa forma musical e impactante durante o Congresso MICE Brasil, semana passada. Pessoas surpreendidas são mais receptivas e atenciosas às mensagens.

Tenho mais aforismos e podem me enviar outros, ainda mais, se forem aplicáveis na nossa área MICE, acho que essas frases criam um ritual de reflexão importante, elas não são feitas para agradar e sim para provocar os pensamentos, o questionamento de nossas ideias e ações por intermédio da fala do outro.

“Os aforismos levam-no a querer fazer alguma coisa; admirá-los sem colocá-los em prática é como aprender a ler música, mas não se dar ao trabalho de tocar um instrumento.” como diria James Geary.     

Boas InspirAções!!!

 

Por Líbia Macedo.

TAGs: artigo eventos live-marketing líbia-macedo