O Coletivo Stella Artois, um movimento que reúne artistas e convidados para um momento de sensações e troca de experiências, reserva para os dias 1º e 2 de setembro duas noites incríveis de arte e gastronomia em São Paulo.

Coletivo Stella Artois volta com experiências de arte e gastronomia

29/08/2017

O Coletivo Stella Artois, um movimento que reúne artistas e convidados para um momento de sensações e troca de experiências, reserva para os dias 1º e 2 de setembro duas noites incríveis de arte e gastronomia em São Paulo.

Com exposições assinadas pelos artistas gráficos Filipe Filippo, Pedro Nekoi e Anna Mascarenhas e cardápio do chef Raphael Despirite, o Coletivo é mais do que uma exposição ou uma vernissage, o projeto é uma experiência criada para ser vivida de forma plena em um local inusitado da capital paulista.

“O Coletivo Stella Artois oferece uma experiência ampla no mundo da arte, combinando gastronomia, experimentos sensoriais e boa música e inspirando as pessoas a viverem o melhor da vida”, comentou Felipe Santini, gerente de marketing de Stella Artois.

Segundo Raphael Despirite, o cardápio foi pensado para ser fácil de comer.  Ele traz referências da comida de rua da sua última viagem ao Japão, onde conheceu o takoyaki (bolinhos de polvo grelhados). O menu também faz uma brincadeira com o clássico pão com mortadela, no qual utiliza uma mortadela italiana recheada com trufas de verão e um pão de longa fermentação.

“O Coletivo Stella Artois é uma oportunidade de comer, beber, dançar e ao mesmo tempo interagir com a arte de uma maneira real, fazendo parte dela”,disse o chef. “Eventos como este são importantes para trazer o público para mais perto da arte. É a arte apresentada de uma maneira muito mais legal e interativa”, completou.

O local escolhido para esta edição é icônico e secreto – divulgado apenas para aqueles que adquirem seus ingressos – e promete causar ótima impressão e surpresa dos presentes.

Para esta exposição, Anna Mascarenhas e Pedro Nekoi construíram uma parceria e suas imagens autorais servirão de base para diversas projeções e colagens que ambientam essa edição do Coletivo. “Queríamos trazer uma ideia de movimento e fluidez, que tivesse relação direta com os formatos escolhidos para expor nosso trabalho: impressão em tecido e objetos, e projeção em vídeo. Nos inspiramos numa ideia conjunta mas tivemos muita autonomia criativa”, conta Anna.

“Através de colagens digitais e videoarte, exaltamos a espontaneidade dos movimentos. Abordamos temas como a dança, o olhar, a natureza, o toque, mas sempre de maneira visual e de forma colorida e curiosa, que é algo característico do nosso trabalho. Foi bem divertido”, completa Pedro Nekoi.

Filipi Filippo levará ao Coletivo a obra “Touch”. “Touch é um espaço de reconexão com tempo oportuno na busca de sentir vida primitiva e futuro. É um convite a um momento e um território de expansão da vida. É uma investigação por possibilidades de vidas”, disse o artista.

Para esta edição os ingressos já estão à venda e dão direito a participar da noite especial com livre consumo de Stella Artois e das opções do cardápio, além de toda a programação musical e do acesso às instalações dos artistas.

Dos mesmos criadores do “Fechado Para Jantar”, o Coletivo Stella Artois transporta o público para uma noite de imersão na arte, repleta de histórias para contar. Junto às mostras, haverá também apresentação musical dos DJs Pedro Bertho e Pedro Noronha. A curadoria é de Hui Jin Park. “O prazer da apreciação nasce incorporada a essa edição do Coletivo, que convida as pessoas a expandirem suas percepções e dimensões de prazer”, diz a curadora.


Fonte:: Redação