Seis startups, 4 do Brasil e 2 do México, foram selecionadas para a fase final do Prêmio LatAm Edge 2017. As finalistas estarão em Londres no dia 11 de outubro, às 18 horas.

4 startups brasileiras estão na final do LatAm Edge Awards de 2017

08/09/2017

Seis startups, 4 do Brasil e 2 do México, foram selecionadas para a fase final do Prêmio LatAm Edge 2017. As finalistas estarão em Londres no dia 11 de outubro, às 18 horas, para apresentar seus modelos de negócios aos jurados ingleses e mais 250 convidados na sede do WeWork em Moorgate, que hoje é o maior WeWork do mundo.

Os finalistas são:

O prêmio de mais de £100.000 é composto por duas posições gratuitas em um espaço de co-trabalho do WeWork por um ano, serviços de contabilidade da Blick Rothenberg, marketing e PR pelo GrupoCASAUK, suporte legal pelo escritório jurídico Joelson, desenvolvimento de negócios no Reino Unido da Trade Horizons, campanhas digitais pela Eydos Digital, coaching por Sapovalova Coaching e pesquisa de mercado pela Talent Capital. Tudo isso gratuitamente durante um ano.

"Foi muito difícil decidir. Na minha opinião, se pudéssemos, teríamos escolhido pelo menos 9 para ir a Londres, mas o prêmio é muito seletivo. Então, os que estão nessa fase final já podem se considerar vencedores", diz Sandra Sinicco, CEO do GrupoCASA e uma das criadoras do prêmio. “É muito interessante ver que este ano temos setores como agricultura, Business Intelligence, Software, @marketplaces e Inteligência Estratégica de Marketing bem diferente do ano passado quando contamos com soluções para Fintech, RH, Meio Ambiente e Organização Empresarial".

Alguns números sobre os inscritos deste ano:

Concorreram ao LatAm Edge Award deste ano, 60 empresas com mais de US$ 1 milhão de faturamento ou investimento. Brasil, México, Chile e Peru tiveram o maior número de empresas registradas. As semifinalistas foram do Brasil, Chile e México.

Algumas empresas do Reino Unido, Moldávia, Israel e EUA também tentaram entrar na competição, mas foram desqualificadas por não terem operações na América Latina. A maioria das empresas inscritas não está buscando funding e sim expansão internacional com os próprios recursos.

Vejam os setores que se inscreveram: 

Entre os apoiadores do Prêmio estão o DIT, Departamento de Comércio Internacional do Governo do Reino Unido, a Blick Rothenberg, uma das maiores empresas de consultoria em contabilidade e aquisições de fusões da Inglaterra, British Airways, F6s, uma das plataformas mais avançadas de monitoramento e dados sobre empresas startups do mundo, a Talent Capital, uma empresa especializada em pesquisa de informações estratégicas para expansão comercial e contatos.

O vencedor terá à sua disposição a consultoria da Sapovalova Consulting liderada por Tamara Medina. Nascida no México e morando em Londres há 17 anos, Tamara conhece bem as duas culturas. "O meu desafio será preparar a empresa para chegar ao Reino Unido mediando as características, os riscos e as vantagens do mercado.

Esta preparação é um passo decisivo para o sucesso do desenvolvimento nessa região ", comenta Tamara. Já a Eydos Digital ficará responsável pelas campanhas de marketing digital do vencedor e a Talent Capital com as pesquisas de mercado para fundamentar as estratégias de desenvolvimento de negócios elaboradas pela Trade Horizons.

O prêmio conta com o apoio do governo britânico, da Câmara de Comércio do Brasil na Grã-Bretanha, da Tech London Advocates, da Start-Up Chile, das Câmaras de Comércio no Reino Unido do México, Colômbia, Chile, Brasil e Argentina e também a divulgação nos vários países latino-americanas feita pela rede LatamPR de agências latino-americanas de relações públicas. Entre as apoiadoras estão a BMR do Chile, Consulting de Comunicação da Guatemala, Innovarte da Colômbia, Smartcom (Venezuela e Panamá) e Percepción & Image do México.


Fonte:: Redação