Você consegue realizar projetos de carreira no setor de live mkt?

22/03/2019


Acabamos de passar por uma séria crise econômica, ética e política. Mas tudo indica que o pior já passou.

Entramos em uma nova fase de crescimento do setor aonde acredito que termos as pessoas corretas com a experiência e com a motivação desejada será o nosso desafio de curto e médio prazo. 

Neste setor dinâmico como o do live marketing/feiras de negócio é terreno fértil para aqueles que têm uma visão empreendedora, podendo realizar o seu próprio negócio ou intraempreendendo em organizações que atuam no setor. Mas estamos todos preparados?

Sei que estamos passando por uma profunda discussão das relações de trabalho e previdência. Sofremos de uma visão paternalista desde a consolidação das Leis Trabalhistas na década de 40...sim, mais de 70 anos atrás! 

Os empregados são sempre vistos como “vítimas” das organizações, e que as organizações (e seus chefes ) são os responsáveis pelos tais planos de carreira e planos de desenvolvimento pessoal.

Já ouviu algo neste sentido? Já ficou indignado com isso como eu também já fiquei? Calma....

Se na sua empresa ou agência  o discurso é “Falta de feedback”, “Ausência de oportunidades para desenvolver a minha carreira”, “Decisões de promoções baseadas em subjetividade”, creio que estamos enfrentando um modelo de mentalidade fixa....Terceirização do desenvolvimento das pessoas! E os culpados são os chefes....

Mas como eu vejo as coisas sempre pelo viés do “copo meio vazio”, eu acredito que o setor de live marketing tem possibilidades infinitas de sair desta situação que descrevi acima....

Podemos e devemos ser vistos como um setor de alto potencial para desenvolver profissionais com uma visão holística de mercado, com enfoque em prestação de serviços especializados e com grandes propósitos individuais e organizacionais...

Mas o que nos falta para atrair estas pessoas para este setor?  Porque os jovens preferem ir para uma starup qualquer do que atuar no setor de live marketing?

Creio que todos nós players deste setor, salvo algumas exceções, não conseguimos ainda explorar o nosso employer value da melhor forma possível. Na minha opinião, parcerias com universidades, programas de trainee, possibilidades de sermos o 1º emprego das pessoas, e vejam bem, nenhuma destas atividades que menciono é “ rocket Science"... é tudo muito básico,... mas estamos fazendo alguma delas? Quais outras podemos implementar?

Gostaria que existissem mais fóruns com enfoque em RH do setor de live marketing sejam eles organizados pela Ubrafe, Ampro ou Promoview... Temos que debater e definir ações claras para tornarmos o nosso setor mais “sexy” aos olhos dos récem-formados.

Se não fizermos isso, estamos nos direcionando a ser um setor com mentalidade fixa e não mentalidade de crescimento (Leiam “Mindset” da Carol Dwek). Afinal, o live marketing não é para os fracos.....

 

Por Paulo Octavio.

TAGs: artigo live-marketing paulo-octavio