Um 'Moska' na minha sopa, na minha meta

15/01/2019


Quero falar de metas, objetivos, afinal é ano novo e temos que planejar.

Me dei conta que muita gente planeja, planeja e... nada... todo ano. Por que será?

Primeiro, porque planejamento é base que pode, e muitas vezes deve, ser adaptada. A velha frase: Planejamento é pra ser mudado vem a calhar.

Por outro lado, você que me acompanha deve lembrar de uma série de artigos que fiz em 2018, nos quais me utilizei de letras de músicas maravilhosas para fazer parte do meu texto, dando o devido crédito, claro.

Daí, reinicio aqui a série, utilizando música especial de Paulinho Moska, a Seta e o Alvo para falar do assunto METAS.

Pois bem, a letra começa:

“Eu falo de amor à vida, você de medo da morte
Eu falo da força do acaso e você, de azar ou sorte
Eu ando num labirinto e você, numa estrada em linha reta
Te chamo pra festa mas você só quer atingir sua meta”

E por que não atinge? Não atinge porque se acovarda e procura o que sempre foi feito. Já viu alguém mudar algo, fazendo sempre a mesma coisa?

“Sua meta é a seta no alvo
Mas o alvo, na certa não te espera”

O alvo não espera, se mexe, e está ali para ser atingido por quem mira e atira e não para quem só mira e não arisca.

“Eu olho pro infinito e você, de óculos escuros
Eu digo: "Te amo" e você só acredita quando eu juro
Eu lanço minha alma no espaço, você pisa os pés na terra.
Eu experimento o futuro e você só lamenta não ser o que era
E o que era? Era a seta no alvo
Mas o alvo, na certa não te espera”

Além da coragem, é preciso criatividade, sonho, propósito, desejo, ousadia e determinação. Já viu conquistadores, inventores, grandes nomes que nunca foram chamados de loucos?

“Eu grito por liberdade, você deixa a porta se fechar
Eu quero saber a verdade, e você se preocupa em não se machucar
Eu corro todos os riscos, você diz que não tem mais vontade
Eu me ofereço inteiro, e você se satisfaz com metade”

Livre, verdadeiro, correndo riscos e por inteiro marcas, empresas e pessoas conquistam, porque se mostram humanos. Você é humano ou aguarda alguém fazer para seguir para ter certeza? De quê se você é o segundo?

“É a meta de uma seta no alvo
Mas o alvo, na certa não te espera
Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada
Quando se parte rumo ao nada?
Sempre a meta de uma seta no alvo
Mas o alvo, na certa não te espera
Então me diz qual é a graça
De já saber o fim da estrada
Quando se parte rumo ao nada...”

Qual graça de não ser Live?

Vivo!

De não viver novas experiências, de não ousar nas metas? A meta é uma seta no alvo, mas ela não te espera.

Tome-a!

Seja feliz!

Artigo de Tony Coelho