Para ganhar, precisa competir!

28/06/2018


Já estamos vivendo a fase dos grandes festivais de premiação. É prêmio para tudo que é lado. Tem para todos os gostos. Dos mais amplos, aos mais segmentados. Dos regionais, aos internacionais.

Eu ainda acho que o mercado de live marketing investe muito pouco em prêmios. Realizamos grandes experiências todos os dias em diversos lugares, impactando um grande número de pessoas, mas somos ainda tímidos demais no quesito criar nossas próprias experiências.

Muitos ainda acreditam que prêmio é apenas para saciar ego de marqueteiros. É também! Mas não só isso. Resumir uma premiação apenas ao ego, é diminuir todo o esforço e coragem do cliente, da equipe e da ideia.

Participar de premiações requer investimentos de recursos e tempo. Nem sempre uma campanha que foi um enorme sucesso está pronta no formato do prêmio. Em muitos casos, tem que montar o case do zero. E é nessa fase que começa um dos maiores legados de um prêmio, o aprendizado.  

Ao reunir a equipe, podemos fazer uma revisitação da ideia, lembrar dos pontos que deram certo, e se atentar novamente para as questões onde a luz amarela foi acesa. Pode parecer insignificante, mas olhar para os erros e acertos da nossa história, é uma das premissas básicas para desenhar o futuro.

A expectativa na hora do julgamento é tão grande quanto o momento em que colocamos uma campanha no ar. Ter o seu trabalho sendo visto e analisado por figuras competentes e conhecidas do nosso mercado, dá uma sensação de que estamos nos submetendo a uma prova em que precisamos tirar notas boas para passar de ano sem recuperação, como nos tempos da escola.

Dá um certo nervosismo, por vezes frustração, e, mesmo assim, vale a pena ver seu projeto exposto a  julgamentos. Mas por quê? Porque sua ideia passa a ser percebida e reconhecida de uma forma ou de outra. Claro que nem todos ganham, mas não podemos esquecer do legado: o aprendizado.

Na vida como nos prêmios, é preciso ousar, ou  em outras palavras, para ganhar é preciso competir.