Livros como presente

18/12/2018


Adoro a paródia, especialmente a feita de coisa boa. Adoro os textos.

Leio todos os textos que saem no Promoview. Primeiro, porque os articulistas são feras. Segundo, porque ler me encanta.

Amante dos livros e já sugerindo presentes de final de ano, aqui vão livros que eu gostaria de ganhar, e, tenho certeza, um amigo seu também:

Seja Foda, do Caio Carneiro;

Textos crueis demais para serem lidos rapidamente – Vários autores;

Marketing 4.0, do Kotler;

O Poder do Hábito - Por Que Fazemos o Que Fazemos na Vida e Nos Negócios - Duhigg, Charles;

Sapiens. Uma Breve História da Humanidade - Yuval Harari.

E os clássicos:

Hamlet, de William Shakespear;

Guerra e Paz, de Lev Tolstói;

Dom Casmurro, Machado de Assis;

Meu Pé de Laranja Lima, do Zé Mauro de Vasconcelos;

Vidas Secas, Graciliano Ramos;

A Cidade do Sol, Khaled Housseine;

Vale também HQ: Liga Extraordinária, Batman, The Spirit, Chiclete com Banana, Cebolinha e Mônica, Maus, Watchmen, X-men, Mafalda...

Reler artigos aqui publicados da galera vai ser bom também.

Dil, João, Marina, Libia, Elza e tantos outros mereciam virar livros.

Destaco, apenas para ilustrar que falo, o artigo do Dil Mota NADA, DE NADA que nos mostra o quanto o nada pode significar tudo.

De uma pequena e simples palavra de duas sílabas, Dil nos coloca diante de um artigo que nada deve aos mais brilhantes que já li.

João provocante e inspirado num IDADE É DOCUMENTO?, Marina, provando que DE PERTO NINGUÉM É NORMAL produziram, juntamente com outros grandes articulistas textos e conteúdos relevantíssimos, verdadeiros presentes.

Agradeço a eles pelos textos, pelas dádivas em forma de palavras, e, quem sabe não lhes dê de presente um livro. O meu vale? ; )

Enquanto isso, livrarias fecham, textos e livros somem, e o tempo vira poeira nas mentes sem histórias (seriam estórias?)

E eu vou continuar a propor livros como presente.

 

 

TAGs: