ADO DEN HAAG

30/06/2019


Um grande achado.

Uma torcida de futebol que descobriu uma forma interessante de contribuir para a sociedade em que está inserida de uma maneira muito carinhosa.

Vejam que maravilha de ação ao vivo!

O Ado Den Haag é um clube holandês de futebol da cidade de Haia. 

É um dos mais tradicionais de seu país.

A sigla ADO vem de Alles Door Oefening.

Foi fundado em 1905, e já venceu o campeonato nacional duas vezes em 1942 e 1943.

E também venceu a Copa de seu país duas vezes.

Atitude faz parte de uma campanha que visa ajudar hospitais infantis na Holanda.

A partida entre Feyenoord e Ado Den Haag, no último dia 15 de setembro, pelo Campeonato Holandês, teve que ser interrompida aos 12 minutos do primeiro tempo por conta de manifestações de torcedores visitantes.

Rapidamente imaginamos, briga de torcida, confusão em campo, o VAR errou!

Nada de briga ou confusão.

Os fãs do Den Haag “atiraram” cerca de três mil bichinhos de pelúcia no setor abaixo de onde estavam seus torcedores.

Lá, estavam crianças de um hospital infantil de Roterdã, que torciam para o time da casa, o Feyenoord.

A atitude fez parte da campanha “Adote um urso de pelúcia por 1 euro”, promovida pelo Ado Den Haag desde 2016, e que visa ajudar hospitais infantis da região.

Ao todo, mais de 30 mil pelúcias foram “adotadas”, mas a segurança do estádio De Kuip, achou melhor limitar o número de brinquedos a serem arremessados as crianças.

Enquanto isso, no Brasil...

Um dos nossos mais belos estádios de futebol instalou uma rede no local onde fica a torcida adversária, para impedir o arremesso de objetos para a parte de baixo, onde ficam alguns de seus torcedores.

Claro, só impede o arremesso dos sólidos.

Os líquidos continuam voando.

Pobre de nosso esporte.

E ainda tem gente que reclama que não há investimento por parte das empresas.

Neste caso, ninguém tem razão.

Não faz sentido arremessar objetos contra o adversário.

A rede não faz sentido também.

Mas aí é que em minha opinião deveriam entrar as empresas que têm seus nomes associados às equipes, aos campeonatos, ao estádio.

Mas a questão é que, nessa hora, são todos torcedores. E ninguém consegue ver o esporte como um bom negócio.

Pena.

Um lindo estádio.

Uma bela equipe.

Um patrocinador de peso.

E uma falta de visão enorme do que deveria ser um espetáculo grandioso.

O esporte é uma bela opção de investimento em conteúdo, em oferecer uma experiência aos clientes que patrocinam as diversas modalidades.

Mas são tantos os enganos, que cada vez mais é difícil convencer uma marca tradicional a investir.

E começa pela própria regra.

Vejam, um jogador marca um gol.

Viva. Aí ele tira a camisa. Cartão amarelo.

Se ele fizer isso 3 vezes, tirar a camisa na hora do gol, ele ganha um final de semana em casa, pois estará suspenso automaticamente.

Fantástico, não.

O cara é pago por um patrocinador e na hora da marca aparecer, não aparece, a camisa foi tirada e jogada ao chão.

Assim o patrocinador não tem seu retorno, a equipe fica sem o sujeito, ele ganha uma folga. Vai entender.

E a torcida vibra freneticamente.

Viva o ADO DEN HAAG e seus torcedores.

Se você tem um achado sobre ações de live marketing no esporte, compartilha com a gente.

 

Por Luiz Coelho.

TAGs: artigo luiz-coelho marketing-esportivo