Vai um curso aí?

28/07/2019


Uma invasão de conteúdo, workshops, treinamentos, feiras, fóruns etc. vai cansando os interessados em aprender, caindo no lugar comum, apresentando mais do mesmo e desqualificando aqueles que realmente apresentam coisa boa.

Se você não entendeu o que estou falando, coloque no Google: feira, conteúdo, workshop e entenderá.

Se for mais preciso, por exemplo, colocar Workshop Digital, o susto será maior.

Vai descobrir que o mundo todo entende do assunto, menos você.

Tem curso gratuito, on-line, off-line e apelações outras com termos para fazê-los parecer mais interessantes.

O que aconteceu? Simples. Oportunidades advindas de brechas.

Carência de cursos sérios, voltados para assuntos relevantes; falta de instrutores que conheçam de verdade os assuntos tanto o seu conteúdo quanto sua utilização hodierna; omissão de empresas e agências na qualificação necessária de seus profissionais (deixam a eles a tarefa de trazer diplomas e certificados)...

Aí, aparecem cursos de todos os naipes, a maioria contestáveis no conteúdo, instrutores ou confiabilidade. Mas como saber sem os fazer?

Daí, vemos eventos com falhas terríveis; produtores de festas, se dizendo produtores de eventos; gente criando “coisas”, coisificando eventos.

No digital, no merchandising... lastimáveis.

Na promoção, questionáveis.

No M.I.C.E., bem, no M.I.C.E. tem salvação...

O Grupo MICE + T Brasil.com, capitaneado pelo grande José Gaspar Brandão, onde Elza Tsumori, Sergio Junqueira, o Prof. Edmundo Monteiro e muito mais gente boa e qualificada é capaz de ensinar tudo sobre o assunto e um pouco mais.

Bem que podiam lançar um curso, workshop, um ciclo de palestras...

Do M.I.C.E., minha dúvida está nas feiras (o E do MICE, Exhibitions). Acho que a maioria perdeu a mão e ficou chata, lugar para pegar bolsa e  brinde.

Nesse sentido, a Brazil Promotions acertou em cheio na criação dos "Clusters", gerando conteúdo de qualidade. Para mim, é a feira.

Voltando ao assunto, cuidado com o que surge como a solução de todos os seus problemas, os cursos e workshops da hora.

Se problema sem solução não é problema, diria que solução de todos os problemas pode ser o maior problema.

Aprenda!

Taí, vou criar esse curso:

Resolvendo seu problema com uma inteligência artificial disruptiva.

Tá a fim de entrar?

 

Por Tony Coelho.

TAGs: artigo tony-coelho