Negócio da China – Final

25/08/2019


Ainda nos valendo do texto do Lucas Marques, COO da Méliuz, como base, que narrou sua visita à China, juntamente com pesquisas sobre o assunto, concluo meu texto Negócio da China, para quem quiser entender o que está acontecendo por lá e impacta a gente e o mundo.

Volto a dizer que significativa parcela de brindes e tecnologia para eventos vêm da China a um preço muito bom. Também reafirmo que a China será, muito em breve, o maior investidor do Brasil.

Leia também: Negócio da China 1.

Aliás, o capital Chinês já está por trás, ou pela frente mesmo, em muitas empresas nacionais, vide ferrovias e trens.

Voltando onde paramos, em Shenzhen, continuamos. Conhece a BYD?

“Ainda em Shenzhen, visitamos duas grandes empresas, a BYD e a Huawei.

Você já tinha ouvido falar da BYD?

Eu não, e olha que incrível sobre ela:

• Maior empresa de baterias e veículos elétricos do mundo! Só na China ela tem 421 mil ônibus elétricos em operação.

• A empresa tem 200 mil funcionários, sendo 20 mil engenheiros em Pesquisa e Desenvolvimento

• Até 2021 100% dos veículos públicos serão elétricos. Não só ônibus, mas carros de bombeiro, polícia, caminhões de limpeza urbana e etc

• A empresa surgiu em 1995 para produzir baterias. Hoje, 30% das baterias de celular do mundo são produzidas por eles

• Mas eles não param. Além de serem os maiores produtores de veículos elétricos do mundo, começaram agora a produzir trens elétricos, que são 5 vezes mais baratos que metrôs e que são instalados em um terço do tempo!

• No Brasil, a cidade de Indaiatuba já tem 20 caminhões de limpeza elétricos da BYD. Escolherem esse modelo para poderem operar de noite sem atrapalhar a população

• A empresa está crescendo o faturamento num nível exponencial, mesmo mantendo o mesmo número de funcionários, o que tem feito sua lucratividade crescer de forma assustadora...”

Pois bem, enquanto aqui carros elétricos são novidade, lá serão, em 2021, 100% dos veículos públicos. E isso é coisa da BYD. Ah, 30% das baterias de todo celular no mundo são feitas por eles. Entendeu? Não importa a marca.

Em Shenzen, a China testou o capitalismo, a sua maneira e deu certo. Lá também é o paraíso das Srtartups. De la saíram marcas mundiais e soluções fantásticas.

A Anker surgiu lá e pode estar no seu ouvido.

Agora, leiam isso:

“Na cidade de Hangzhou, visitamos duas startups, Wedoctor e Alipay.

WeDoctor: 

- Uma das maiores startups de saúde do mundo. Eles começaram fornecendo um app de agendamento e hoje fazem muito mais. São 3.200 hospitais, 290 mil médicos e 200 milhões de usuários!

- Desenvolveram o primeiro hospital virtual do mundo. Um paciente, em qualquer lugar da China, consegue ser atendido por vídeo por excelentes médicos desse centro. Uma das maiores dificuldades de países subdesenvolvidos é levar médicos para viverem em cidades pequenas e remotas. O Brasil vive o mesmo problema. Com esse tipo de tecnologia, você consegue que um médico, vivendo sua vida confortável em Florianópolis, consiga atender um paciente no interior do Pará, por exemplo.

 - Hoje no Brasil quando alguém tem qualquer problema de saúde a pessoa perde tempo 1. Agendando um médico 2. Se deslocando da casa para o médico e do médico para a casa. 3. Depois indo e voltando de uma clínica de exames. 4. Depois indo e voltando ao médico para levar aos exames. Nesse "rolê" toda a pessoa perde tempo de trabalho, gasta dinheiro com estacionamento e deslocamento, e ainda demora para ter seu diagnóstico. Para resolver esse problema a WeDoctor criou aparelhos simples e baratos que podem ficar nas empresas ou em comunidades para fazer os principais exames em tempo real e enviar os resultados para os médicos virtuais que fazem depois uma ligação de vídeo com o paciente. O aparelho consegue realizar exames que englobam 80% das doenças rotineiras que as pessoas costumam ter...”

Imagine isso no Brasil!

tony artigo

“- Na nossa visão, todos os médicos têm todas as qualificações necessárias para atender pacientes, mas isso não é verdade. Existe uma discrepância gigante na formação de médicos e na atualização destes em relação a novas doenças e tratamentos. Para ajudar a resolver esse gap, a Wedoctor criou um software de inteligência artificial onde o médico vai digitando os sintomas dos pacientes, anexando exames e o software vai sugerindo possíveis doenças que o paciente pode ter. Eles estão criando uma base de dados gigante e com isso vão conseguir entregar resultados cada vez mais apurados. Em alguns vários casos, o IA já está entregando resultados mais precisos que os médicos. Isso é só 1% do que eles estão fazendo. 

Outro problema que eles observaram é que pais de crianças pequenas e pessoas com idade muito avançada gostariam de ter atendimentos mais rápidos e sem precisar sair de casa. Eles criaram então uma espécie de tablet que permite que essas pessoas tenham um atendimento médico da sua casa em questões de segundos. Em casos mais graves/urgentes, o próprio médico pode chamar uma ambulância para a casa do paciente.

tony artigo

Eles também identificaram uma grande oportunidade no setor de remédios/farmácias: 80% das consultas resultavam na prescrição de uma quantidade x de remédios que podia ser facilmente comercializados em uma máquina de 2m x 2m. Mas e os remédios que necessitam de prescrição? Sem problema, porque a máquina vem com um scanner que lê o QR code da receita do médico e autoriza a compra. Essa máquina pode ser colocada dentro de empresas, metrôs, praças e com isso reduzir muito os preços de remédios.

Por último, ao fazer todas essas coisas, a WeDoctor começa a ter uma infinidade de dados sobre médicos, pacientes, hospitais, doenças, tratamentos, remédios. A partir desses dados, geram dashboards e análises em tempo real para o governo chinês, que consegue reagir de forma preventiva para barrar, por exemplo, uma epidemia...”

Podia contar aqui muito mais, mas entendo que agora é você que pode se interessar em estudar esse País e suas empresas. Pesquise sobre  IQIY, o ANT Financial, da Alibaba. Vai se surpreender muito.

Ainda acha que a China é o lugar dos brinquedinhos e coisas feitas baratinhas?

Isso pode sair caro para você.

Para fazer um Negócio da China é melhor abrir o olho...

O coração e a mente.

??,

ou seja, boa semana.

 

Por Tony Coelho.

TAGs: artigo tony-coelho