Os desafios de 2018; Veja análise de João Riva

18/01/2018


“2017 deverá ser o ano em que estes aprendizados (do ano de 2016), juntos aos do passado, farão diferença. Porém, precisaremos de mais para que os projetos saiam do papel e ganhem vida. 2017 é um ano que pedirá mais líderes. Aqueles de verdade, não os dos livros de autoajuda. Líderes que saibam se auto motivar, e ao mesmo tempo motivar suas equipes. levam uma equipe, do tamanho que for, ao sucesso. Aqueles que conseguem que a equipe trabalhe motivada, mesmo em momentos de baixas vendas. Aqueles que fazem com que a equipe trabalhe para eles e por uma causa, e não por conta de um holerite. Em 2017, pode anotar: estes líderes serão fundamentais.”

O texto acima foi publicado aqui mesmo no Promoview e assinado por mim no início de 2017. Parece que eu previa que o ano seria difícil. Mérito nenhum, já que o cenário era evidente.

Porém, em partes errei, já que neste segundo semestre a economia deu uma bela de uma melhorada. Que bom! Ótimo errar em horas como essa, não é? Mas sim, foi o ano dos líderes bons, que souberam motivar suas equipes para produzir mais, e em um cenário que não deu espaço para amadores.

Porém o ano não foi só dos líderes motivadores, mas também do CONTEÚDO e da EXPERIÊNCIA. Poderia também colocar o INBOUND aqui, mas este deixarei de fora, já que de alguma forma conversa com os dois já citados. Mas sim, foi o ano que estes ganharam ainda mais força no cotidiano dos departamentos de marketing. Se fosse para apostar, diria que continuarão fortes em 2018, e quem sabe, até mesmo atuando ainda mais conjuntamente – algo que já ganha força, inclusive.

A verdade é que as interações entre marca e consumidores estão cada vez mais dialógicas e menos discursivas, dando mais espaço para a participação dele, e não quebra na sua rotina. Com isso, entregar algo em troca pelo tempo do consumidor, seja conteúdo ou experiência, é cada dia mais presente. Afinal, num mundo cada vez mais complexo e exigindo mais destes mesmos consumidores, a entrega do seu tempo para as marcas não pode mais ser a troca de nada.

Por isso, se 2017 não foi um ano para amadores, 2018 também não será. Entregar conteúdo ou experiência de qualidade não é uma tarefa fácil. Não se trata de um trabalho qualquer. Requer pesquisa, entendimento do consumidor, sua jornada de compra, drive na loja on e/ou off (quando há ponto de venda), conhecimento das ferramentas disponíveis, formas de mensuração de resultados e rápidas adaptações de rotas – quando necessário.

Cada ano que passa, marketing se torna mais técnico. Com o excesso de marcas, meios de contato com o público e formas de viver, segmentação se torna a palavra chave. Segmentar, entretanto, não é simples. Atuar com a segmentação, idem. E este será o desafio de 2018. Como trabalhar conteúdo e experiência através de uma eficiente segmentação. Que venha 2018!


 

Fonte: João Riva