Desenvolver novas tecnologias, revolucionar o mundo dos negócios e transformar a vida das pessoas, deixando tarefas manuais para as máquinas. É assim que Christopher Enytc resume sua maior ambição como programador.

Christopher Enytc assume como CTO na Hash lab

13/01/2018

Desenvolver novas tecnologias, revolucionar o mundo dos negócios e transformar a vida das pessoas, deixando tarefas manuais para as máquinas. É assim que Christopher Enytc resume sua maior ambição como programador.

O paraibano de 24 anos começou a programar aos 10 anos e desde criança teve interesse por criar e entender como funcionam o universo e as coisas dentro dele.

"Ao longo dos anos, fui estudando tudo o que podia e criei vários projetos pessoais para resolver problemas reais. Cada dia era um novo desafio a ser superado, sempre com o foco em obter cada vez mais conhecimento, mesmo com tantas pessoas falando que isso nunca daria certo", comenta Christophe Enytc. Para ele, é preciso que cada um busque o que faz sentido para sua vida, deixando a opinião alheia em segundo plano, para desenvolver um perfil questionador que promova o aprendizado.

Atualmente Enytc ocupa o cargo de Chief Technology Officer (CTO) na Hash lab, startup especializada em meios de pagamento que permite que o cliente seja um provedor de serviços de pagamento (PSP), gerando valor ao ponto de venda. Antes de cogitar seguir essa carreira, o jovem CTO estava decepcionado com o mercado de tecnologia brasileiro e com a qualidade da educação no país, motivos que o fizeram optar por não cursar uma universidade.

O especialista deu início à sua trajetória profissional na Pagar.me, empresa de pagamentos on-line. Segundo ele, antes dessa oportunidade, nunca teve vontade de atuar em uma organização nacional por acreditar que a maioria não dava valor à inovação.

Na Hash lab, o jovem adotou várias tecnologias e práticas usadas por grandes organizações como Google, The New York Times e eBay, tais como Kubernetes, Docker, MicroServices, Infrastructure as a Code junto com Node.js e Golang. Tudo isso para garantir o funcionamento dos serviços que ajudarão a fintech a crescer sem aumentar custo com infraestrutura de servidores. E o mais importante: passando confiança para a equipe que trabalha desenvolvendo as soluções adotadas na empresa.

Segundo ele, trabalhar com meios de pagamentos é algo crítico, por lidar com o dinheiro de outras empresas. "É uma cadeia muito grande e sabemos o número de pessoas impactadas. Sempre levo esse ponto em consideração no meu processo de criação", comenta.

O prodígio espera que seu trabalho na Hash lab sirva como case para influenciar o mercado brasileiro ao adotar tecnologias inovadoras. Com sua expertise, o profissional permite que a Hash lab mantenha seu crescimento de maneira horizontal e vertical, sem que haja a necessidade de diversos programadores, potencializando os resultados. "Utilizando tudo o que há de mais novo em tecnologia para o mercado financeiro, conseguimos nos antever aos problemas, atuando em sua prevenção ao invés de focar na resolução e remediação", finaliza o CTO.

Mais informações no site: www.hashlab.com.br/.


Fonte:: Redação