Uma das coisas que nossa coluna tenta implementar é o compartilhamento de opiniões. Por isso, sempre pedi a colaboração dos leitores amigos que nos acompanham neste espaço, enviando textos e opiniões. Só uma o fez, e faz tempo. Agora, outra, de novo as meninas, o faz e, de novo, vem de Curitiba.

Sem produtor a ideia é nada

05/09/2017

Uma das coisas que nossa coluna tenta implementar é o compartilhamento de opiniões.

Por isso, sempre pedi a colaboração dos leitores amigos que nos acompanham neste espaço, enviando textos e opiniões. Só uma o fez, e faz tempo. Agora, outra, de novo as meninas, o faz e, de novo, vem de Curitiba.

Ela é a Professora Karin Olberts de Souza que desenvolve trabalho significativo sobre o Live Marketing na UFPR ofereça seus alunos esse e outros texto do Promoview). Ela me mandou dois textos e escolhi este, uma homenagem aos produtores para estreá-la em nossa Coluna, mesmo porque, Karin trabalhou como produtora de eventos e não é uma acadêmica que fala do que não viveu. Vejam:

É O PRODUTOR DE LIVE MARKETING QUE FAZ ACONTECER

Certamente “ninguém é uma ilha” e para um evento acontecer o processo é longo e detalhado, envolvendo muitas pessoas. A intenção aqui não é desmerecer nenhuma das expertises envolvidas no circuito do desenvolvimento e execução de Projeto de Live Marketing, mas é sim o produtor de eventos que retira do papel e executa para a realidade o que um dia foi pensado ou criado.

O propósito deste artigo é tentar passar um pouco do que um produtor enfrenta na hora de realizar um evento: o que ele sente e como lida com determinadas situações.

O peso de gastar muito dinheiro em dois, três dias para que um projeto saia do papel é realmente grande. É pressão e mudanças a toda hora. E, aí, é fundamental administrar tudo ao mesmo tempo: prazos, emergências e pessoas que, de diferentes maneiras, querem ajudar no processo.

Os três melhores momentos do trabalho para um produtor de Live Marketing são:

1º - Quando entra o briefing (mesmo que a essência seja única, as variações de projeto são estimulantes e desafiadoras).

2º - Quando o produtor realiza exatamente aquilo que lhe foi designado, só que em uma proporção gigantesca e com a magia da realidade - ele observa tudo aquilo rodando perfeitamente e pensa: eu faço acontecer!

3º - Quando o Job termina (e todos os processos de entrega finalizados com maestria)
O produtor de eventos nasce produtor de eventos, pois sente e o respira com a naturalidade de quem já o esperava. Não conseguimos transformar uma pessoa em produtor de eventos, ou ela nasce, ou ela nunca será. É vocação e perfil mesmo.

Difícil encontrar profissionais que trabalhem 16, 18, 22 horas em um dia, caso seja necessário “fazer acontecer”, em tempo reduzido e ainda sorria.

Somos afetados pela falta de planejamento por parte de algumas empresas que nos demandam projetos. Pois é essa demanda enlouquecida de trabalho que faz com que muitos bons produtores sigam outros caminhos profissionais, defasando a mão de obra da área.

Temos acompanhado algumas agências tratando profissionais de maneira leviana, tratando os produtores como descartáveis, como se fosse fácil achar um bom profissional de Live Marketing. Agências que oferecem salários incompatíveis com a função, sem se importar de fato com a expertise do profissional.

Infelizmente, tem muita gente que sabe se vender muito bem, mas na hora de entregar o projeto, o resultado não saí como foi prometido inicialmente. Quando gente qualificada se propõe a fazer o seu trabalho numa Agência, o mínimo que o mercado exige dela é qualidade e ter qualidade não pode ser tratado como um diferencial. Todos tem que ter, pois ou se tem, ou não se sobrevive.

Os três piores momentos do trabalho para um produtor de Live Marketing são:

1º - Quando não se tem bons fornecedores com “know how live”, ou que vendem o que não podem oferecer

2º - Surgem alterações inesperadas nos “45 min do segundo tempo”

3º - Ou, a equipe interna, incluindo gestores, departamentos financeiros, criação e planejamento,  e equipe de coordenadores, apoios e demais necessidades:

• Não são capacitados a atuar na função proposta (reforço do citado acima: muitos profissionais se vendem sem entregar nesta área, ou seja, não sabem fazer, só falam que fazem)

• Demandam energia negativa e efetuam pressão desnecessária, desestruturando e desiquilibrando todo um processo

• Não permitem que o produtor execute os trabalhos nos tempos necessários para atender a todas as necessidades do processo e fornecedores envolvidos por interveniência indevida ou amizade com os mesmos.

• Quando um ou mais integrantes do grupo agem de forma mal educada com os demais, ou quando algum envolvido se acha superior ao resto da humanidade.

• Quando acontece alguma catástrofe que foge totalmente do controle da produção ou fornecedores (citamos aqui causas ambientais, provenientes da natureza e ou tudo aquilo que nos impede de controlar) e a eles é imputado o problema porque não há quem tenha coragem ou discernimento para explicar ao cliente. É simples. Chame um produtor.

Um produtor de eventos precisa estar apto a: pensar rápido, agir rápido, ser didático, ter paciência, ter muita paciência, ser educado, não se deixar influenciar pelo oportunismo.

O mundo ideal para os produtores de eventos seria:

• Ter um salário compatível com a capacitação, expertise e currículo (Júnior é júnior e Sênior é Sênior. Desculpa aí, mas fazer eventos não é para qualquer um).

• Dias e horários comerciais comuns em épocas que não se ativa ou executa projetos. Produtor também tem vida em casa , amigos e familiares.

• Banco de horas depois de ter trabalhado muito mais do que o devido (mas banco de horas sem a necessidade de pedir por isso, ou ver caras feias, torcendo o nariz e não gostando da situação, já é um direito de todos e para todos, é um estudo em cima do que um ser humano precisa e até onde ele aguenta).

• Férias de 30 dias, por que em 15 ou 20 o produtor não se consegue descansar nem se apresentar e conviver com filhos e parentes que jáa nem sabem quem ele é. (na profissão de produtor de eventos o esforço é intenso com o cérebro, um produtor de eventos é estratégico e trabalha com muitas informações ao mesmo tempo. Se acha que é exagero, tenta substituir um produtor durante um mês.)

• Reconhecimento e valorização, que é o canal de motivação para qualquer ser humano produzir mais e feliz.

Com certeza, nos “Bastidores da Produção”, temos muitas experiências para trocar, muito o que se falar, muito para chegarmos a uma perfeição, mas a dica de hoje é: 
Não venda aquilo que não consegue entregar e não faça com os outros aquilo que não quer que façam com você.

Karin, fiz pequenas alterações, se não ficar zangada. E concluo:
SEM O PRODUTOR A IDEIA É NADA. O Que acham, senhores produtores?


Fonte:: Tony Coelho