A economia parecer estar recuperando, seja por conta dos números apresentados pela imprensa, seja pela percepção que colegas e eu dividimos. Vemos mais agências contratando, mais concorrências acontecendo e empresas que haviam colocado os dois pés no freio abrindo mão de um deles.

Precisamos gritar a favor da experiência

27/09/2017

A economia parecer estar recuperando, seja por conta dos números apresentados pela imprensa, seja pela percepção que colegas e eu dividimos. Vemos mais agências contratando, mais concorrências acontecendo e empresas que haviam colocado os dois pés no freio abrindo mão de um deles.

Empreendo há alguns anos neste meio de comunicação através de agências, e desde então vivi em momentos de crise. Quando me perguntavam se a crise tinha atrapalhado meu negócio, costumava dizer que não sabia, pois nunca vivi em período sem ela.

Um amigo, dono de agência há mais de 15 anos, afirma que também nunca viveu um só dia de mercado sem crise. Sei lá, deve ser verdade, mesmo. A crise é tão constante no país, que não sabemos nem mais se vivemos em crise, ou se isso é o Brasil.

Em um dos meus primeiros textos aqui no Promoview, vivendo naquele período mais pesado da crise, argumentei que era hora de nós, profissionais de Live Marketing, ganharmos voz para lembrar aos clientes o quanto nossas ferramentas são fundamentais para aquele período. Pessoalmente, telefonava a clientes dizendo que era justamente naquela hora, quando poucas marcas investiam, que eles deviam botar a boca no trombone e anunciar. Que suas ações ganhariam naturalmente mais visibilidade por conta da ausência de concorrentes.

Apesar de sermos de propaganda, sempre achei que vendemos pouco o nosso negócio. Quem o faz, e bem, é o pessoal do marketing digital. Como se fossem máquinas de autopropaganda, evidenciam ação por ação seus resultados conquistados.

Formam grupos com milhares de participantes no Facebook, criam vídeo aulas, realizam eventos quase que semanalmente e lançam livros, de 100 a 5 páginas. Certo eles. Fazem propaganda de algo que realmente funciona, que acreditam, e que os paga. Repito: certo eles.

Continuo batendo na tecla, enquanto isso, que precisamos falar ainda mais sobre o que fazemos, assim como eles fazem (e dentro deles me incluo). Que evidenciar o poder da experiência é fundamental. Empresas cada dia mais abrem pontos de venda em busca de transmissão de seus conceitos. Marcas investem com força em ativações que tornam seus produtos mais presentes. Ideias ganham vida através de grandes eventos, como os musicais. Fazemos, fazemos e fazemos, mas comunicamos ainda pouco.

O processo de fortalecimento do nosso mercado se dá, além do amadurecimento dele próprio, da divulgação que fazemos dele. Esse é também nosso papel.
 


Fonte:: Redação