Expomusic sobe o tom e integra outros segmentos

10/01/2019


Evento se propõe a criar conexões com amplos setores da música, priorizando inovação, capacitação, interação, transformação e união.

De 15 a 19 de maio de 2019 apreciadores, amantes, especialistas e profissionais de música poderão conferir um novo conceito da maior e mais completa feira de música do País, a Expomusic - Feira Internacional da Música, Áudio, Iluminação e Acessórios: um evento repaginado para entender as transformações do mercado e o perfil dos novos consumidores.

As principais exposições do país estão aqui.

A Francal Feiras, promotora do evento em parceria com a Abemúsica, realizou estudo de mercado e comportamento de consumo de música, por meio de consultoria especializada para entender os impactos das mudanças no segmento de instrumentos musicais e desenvolver novas estratégias.

“O mercado e o perfil do consumidor mudaram. O novo público não é passivo. Ele quer ter voz, grita por direitos e transformações e tem comportamento alinhado com o mundo moderno. Nossa proposta é construir um novo conceito e criar oportunidades para o fomento do setor.”, explica o diretor da Francal Feiras, Daniel Lima.

O presidente da Abemúsica, Synésio Batista da Costa, esteve com empresários em encontro com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, que afirmou a intenção de voltar a inserir a música no ambiente escolar.

“O Brasil tem 170 mil escolas e 23 bilhões de crianças. Vamos descobrir as novas referências, trabalhar junto e trazer um novo público para a feira.”, enfatiza o presidente da Abemúsica.

Perfil do consumidor de música

De acordo com o estudo realizado para a Expomusic, o novo público do setor de música vive no mundo digital: são os heavy users de tecnologia, mas se sentem parte do espaço físico e ocupam a cidade de forma democrática e consciente, priorizando o consumo sustentável, economia colaborativa e respeito às diferenças.

Para o atual consumidor, tudo se resolve na palma da mão, a mobilidade é a tendência do momento. Tecnologia, inteligência artificial, startups e blockchain não são apenas conceitos, são realidades para um público Alfa e Beta, influenciadores e disseminadores que a Expomusic quer atingir e o público Ômega, mais conservador, que queremos manter.

A nova Expomusic

Os organizadores esperam ter um momento único, que afirme os valores e desenvolva algum tipo de reflexão e retorno.

Ser a nova conexão com o mercado da música, por meio de muita inovação, capacitação, interação e transformação são as palavras-chaves da nova Expomusic.

De acordo com o estudo, vendas físicas têm quedas expressivas tanto por aqui quanto lá fora. Em 2017, o mercado global de música cresceu 8,1% e no Brasil cresceu 18%, sendo que neste contexto o streaming lidera como a maior fonte de receitas da indústria.

É por isso que a nova Expomusic vai fortalecer todos os segmentos, sendo a plataforma de revitalização do mercado da música no Brasil. A feira de instrumentos se transforma em feira da música, um festival de todos os ritmos, trazendo o show bizz para dentro do evento.

O momento é de união para reconectar o diálogo, promover o encontro no universo físico e digital, melhorar a comunicação entre os profissionais do setor e montar um grupo de consultoria com especialistas para trazerem novas possibilidades durante o ano todo.

Mais informações aqui.

 

Fonte: Redação.

TAGs: