Rede de cassinos é a nova apoiadora da NFL

07/01/2019


Contrato com a Caesars Entertainment não inclui apostas esportivas.

A NFL escolheu a Caesars Entertainment como a primeira rede de cassinos a se tornar parceira da Liga em toda a história.

O melhor do marketing esportivo está aqui.

De acordo com a Bloomberg, o negócio foi fechado por cerca de US$ 30 milhões anuais e permitirá à Caesars, maior empresa do ramo no mundo, o uso de marcas oficiais da NFL nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Segundo a rede de TV americana, o acordo não inclui apostas esportivas nem qualquer tipo de direitos de dados por parte da rede de cassinos. Dessa forma, a NFL faz exatamente o contrário do que fizeram NBA e MLB quando fecharam parceria com a MGM Resorts.

Pelo acordo entre NFL e Caesars, a rede de cassinos terá a possibilidade de proporcionar experiências para os fãs da NFL, usando, para isso, suas propriedades de cassino, chefs famosos, artistas da música e uma ampla gama de elementos de entretenimento.

Além disso, o contrato também permite que a empresa realize ativações nos principais eventos da NFL, incluindo o Super Bowl e o NFL Draft.

"Combinar a experiência da NFL com a Caesars, especialista em entretenimento de classe mundial, proporcionará aos nossos fãs experiências únicas aqui nos Estados Unidos e no Exterior.", afirmou Renie Anderson, vice-presidente sênior de parcerias, patrocínio e produtos de consumo da NFL.

"Todos nós da Caesars Entertainment estamos entusiasmados em ser o primeiro parceiro de cassino da NFL, a mais importante liga esportiva da América do Norte. Combinar os 180 milhões de fãs da Liga com nossos 55 milhões de membros do programa de fidelidade Total Rewards fará com que milhões de pessoas tenham acesso a oportunidades exclusivas e excitantes durante todo o ano.", declarou Mark Frissora, presidente e CEO da Caesars Entertainment.

Embora não seja tão ousada quanto a postura da NBA e da MLB que inclui as apostas esportivas, o acordo marca o primeiro contrato da NFL com uma empresa de apostas desde que a Lei de Proteção ao Esporte Profissional e Amador (Paspa) foi derrubada pela Suprema Corte dos Estados Unidos em maio do ano passado.

Fonte: Redação.

TAGs: