Campeãs brasileiras de basquete inspiram jovens atletas

07/11/2018


Equipe feminina pré-mirim Vera Cruz Campinas/Valinhos luta pelo título de uma das maiores competições estudantis do Brasil em 2018 com a meta de seguir os passos do time profissional do clube, campeão nacional.

Na elite do basquete feminino nacional, o time do Vera Cruz, de Campinas, é o número um. O atual campeão brasileiro mantém categorias de base em parceria com a Secretaria de Esportes de Valinhos. Nesse trabalho de fomento ao esporte, participa da Liga Nescau Jovem Pan, uma das maiores competições estudantis do País, com mais de sete mil alunos/atletas de 300 instituições de ensino e associações.

O Vera Cruz Campinas/Valinhos compete na categoria pré-mirim feminina, para atletas até 12 anos de idade. Vice-campeã no ano passado, luta para estar nas finais nesta temporada – dias 24 e 25 de novembro, no Pacaembu – para levantar o título.

“Nossas equipes disputam também outras competições, mas a Liga Nescau é fantástica para incentivar o esporte nas escolas. Uma grande iniciativa em um País que, infelizmente, não valoriza a atividade esportiva nas instituições de ensino.”, afirma Rodrigo Ramos, técnico da equipe.

Além da equipe feminina de basquete do Vera Cruz, a região de Campinas conta com outros representantes da Liga Nescau , como os times das escolinhas de iniciação esportiva da prefeitura de Vargem Grande Paulista. Ao todo, a cidade inscreveu 45 meninos e meninas em diversas modalidades, como vôlei, atletismo e futsal.

Presença de times como o do Vera Cruz Campinas/Valinhos e Vargem Grande Paulista comprovam o aumento da presença feminina na Liga Nescau . Em 2018, pela primeira vez, o número de meninas ultrapassa o de meninos. São 51% de participação feminina e 49% masculina, enquanto no ano passado, a proporção era de 54% a 46% em favor dos garotos.

A Liga Nescau também é a única competição brasileira a incluir portadores de deficiência entre as promovidas pela inciativa privada. Com isso, cria uma ação inédita ao unir esporte e paradesporto. São seis esportes adaptados: atletismo, basquete sobre rodas, tênis de mesa, vôlei sentado, natação e judô.

Em conjunto ao esportes paralímpicos, a Liga Nescau oferece nove modalidades convencionais: futsal, vôlei, basquete, handebol, atletismo, ginástica artística, natação, tênis de mesa e judô.

Evolução e sete embaixadores 

A Liga Nescau foi denominada como Copa Nescau nas primeiras três edições. Para 2018, não é apenas o nome que mudou. A competição cresceu de cinco para 15 modalidades, além de aumentar a inclusão com mais opções de paradesporto.

O número de participantes subiu de cinco mil para 7.660 alunos/atletas da rede pública, privada, ONGs e associações, clubes e demais instituições. São meninos e meninas que competirão nas categorias pré-mirim (Sub-12 anos), mirim (Sub-14) e infantil (Sub-16). As disputas classificatórias são nos clubes Sírio, Juventus e Esperia.

Para incentivar ainda mais a garotada, a Liga Nescau JP conta com sete embaixadores para a competição de 2018: a jogadora de vôlei Tandara, o craque Falcão, a judoca Mayra Aguiar, o ex nadador Thiago Pereira, a ginasta Flávia Saraiva, a paratleta Verônica Hipólito e o jogador de basquete Yago Mateus. As rodadas da quarta edição do torneio serão nos clubes Sírio, Juventus e Esperia.

A realização da Liga Nescau representa uma importante iniciativa de marca de achocolatados da Nestlé com o objetivo de disseminar os valores do esporte entre as crianças e famílias, por meio do estímulo ao convívio social e à interação, provocando o espírito de equipe e coletividade, além da empatia e companheirismo.

Para promover a Liga Nescau, A Nestlé conta com a parceria do Grupo Speed, responsável por toda a operação do torneio. A comunicação da marca fica a cargo da Agência Ogilvy e toda a identidade visual é tratada pela FutureBrand. 

Informações sobre a Liga Nescau Jovem Pan estão disponíveis no site.

Fonte: Redação.