Sesc São Paulo recebe o Festival Palco Giratório

01/08/2019


Atual edição do evento terá 20 companhias de vários Estados, que somarão mais de 40 apresentações artísticas, 9 delas inéditas, além de oficinas teatrais, encontros e debates.

palco giratório são pauloO Palco Giratório, circuito nacional de artes cênicas do Sesc, chega à sua 22ª edição como uma ação integrada que fomenta a circulação de obras e apresenta um importante panorama cultural da produção em artes cênicas no País.

Iniciada no último dia 28 de março em Natal (RN), o circuito já passou por Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Brasília e Manaus. Entre 02 e 31 de agosto, o Palco Giratório chega a São Paulo com a participação de 20 companhias, que se apresentarão em 09 unidades do Sesc na Capital, Grande São Paulo e Interior: 24 de Maio, Av. Paulista, Belenzinho, Bom Retiro, Campinas, Guarulhos, Parque Dom Pedro II, Santana e Santo André.

A abertura do Festival, na Capital paulista, será no dia 02/08 (sexta-feira), às 21h, no Sesc Bom Retiro, com a montagem Meu Seridó, inédita no Estado de São Paulo, do grupo Casa de Zoé, do Rio Grande do Norte.

Um espetáculo teatral que proporciona um passeio imaginário pelo sertão do Rio Grande do Norte com muito humor, música e boas doses de reflexão.

palco giratório
Meu Seridó (Foto: Brunno Martins).

Até o fim de agosto, serão diversas apresentações de artes cênicas, 7 delas inéditas em São Paulo, que envolvem linguagens como dança, circo, teatro adulto, teatro para crianças e performances; além do Pensamento Giratório, programação paralela aberta ao público, para reflexão e discussão acerca do trabalho e pesquisa dos grupos itinerantes, realizado com participação ativa da comunidade de artistas locais e convidados.

"Constituindo um empenho de democratização de toda diversidade cultural nacional que alcança pequenas, médias e grandes cidades, o Festival Palco Giratório promove, há 22 anos, a difusão de trabalhos de artes cênicas por meio da circulação de grupos e companhias de teatro, dança e performance. O Sesc São Paulo toma parte dessa empreitada, entendendo a importância do trabalho coletivo como meio de conhecer a pluralidade de expressões cênicas nas regiões do País.", afirma Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

palco giratório
Cabaré das Rachas (Foto: Gabriel Guirá).

A cada ano, uma curadoria formada por profissionais do Sesc de todo o Brasil aponta pistas, ideias, pensamentos e ações que sugerem questões e tendências latentes no teatro brasileiro.

Os desafios apontados em 2019 convocam o público a repensar estratégias nos modos de atuação do circo, dança, teatro e de suas interfaces, para promover ainda mais a existência e a sustentabilidade das artes cênicas.

Um tema que permeia a programação de 2019 como um todo, está relacionado com o conceito de "Lugar de Fala", trazido por diversos espetáculos do circuito a partir de diferentes óticas: a dos povos indígenas (Espetáculo Se Eu fosse Iracema - 1Comum Coletivo – RJ); dos feminismos (Espetáculo A Mulher Arrastada – Dramaturgia Diones Camargo - RS); dos corpos negros (Espetáculo Subterrâneo – Gumboot Dance Brasil - SP); dos corpos com deficiência (Espetáculo Tandan – Cia Etc – PE).

Também como desdobramento das ações de mediação cultural, o Palco Giratório destaca, neste ano, a presença de propostas que não configuram necessariamente a apresentação de um espetáculo, conhecidas como "Cena Expandida". São programações que sugerem um tempo de relação mais amplo com as cidades e seus públicos, envolvendo a realização de mapeamentos e oficinas estendidas.

palco giratório
Das Cinzas Coração (Foto: Adriana Marchiori).

São elas que configuram o Circuito Especial 2019: Performance Preta no Brasil (MA), que pretende viabilizar a produção negra no campo da performance; Audiodescrição Lab (PE/SC), uma ação de mediação para espetáculo com audiodescrição; Femi-Clown Cabaré-Show (DF), com uma proposta de saberes em circo-teatro, que se dá a partir do encontro e das partilhas entre mulheres palhaças e suas criações.

O Palco Giratório se notabilizou, durante suas 22 edições, por fomentar diferentes linguagens artísticas nas artes cênicas. Na atual edição, temos exemplos de: Teatro para Bebês (Espetáculo Voa do Coletivo Antônia – DF); Teatro Adulto (Espetáculo Traga-me a cabeça de Lima Barreto da Cia. Dos Comuns – RJ); Circo (Espetáculo Das Cinzas Coração da Quimera Criações Artísticas e Teatro Ateliê – RS); Dança (Espetáculo Cria da Cia. Suave/ Alice Ripoll – RJ); e Intervenção Urbana (Espetáculo Naquele Bairro Encantado do Teatro Público - MG).

Além dos espetáculos e oficinas para todas as faixas etárias, a programação envolve ainda o "Pensamento Giratório". Trata-se de um espaço aberto ao público para reflexão e discussão acerca do trabalho e pesquisa dos grupos itinerantes, realizado com a participação ativa da comunidade de artistas locais e convidados.

palco giratório
Repertório Naquele Bairro Encantado (Foto: Episo Audiovisual).

As companhias e espetáculos que serão apresentados em São Paulo são provenientes de diversos Estados do Brasil, como, Alagoas, Amazonas, Ceará, Distrito Federal, Macapá, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. 

Programação completa aqui.

 

Fonte: Redação.

TAGs: evento live-marketing palco-giratório são-paulo