Réveillon de Copacabana exaltou a carioquice com 2,8 milhões de pessoas

02/01/2019


A autoestima do carioca foi levantada na última noite do ano de 2018 com o belíssimo espetáculo que pôde ser visto, em especial, em uma das praias mais famosas do mundo, e cantada em dezenas de músicas: Copacabana.

O Réveillon contou com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Antarctica (BOA), Light, por intermédio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e do Governo Federal/Ministérios do Turismo e da Cultura com produção da SRCOM.

O melhor do entretenimento está aqui.

A noite por lá foi mágica e afetuosa. Teve direito a muitos beijos e abraços e saudações aos cariocas, mesmo os que não nasceram na Cidade Maravilhosa foram homenageados nos telões espalhados pela orla e no palco, antes da contagem regressiva e ao longo dos shows, com imagens impactantes do cenário belíssimo que cerca o Rio.

O público lotou a orla da Princesinha do mar: aproximadamente 2,8 milhões de pessoas.

“Depois de tanto trabalho, digo, com orgulho, que fizemos o maior Réveillon do mundo. O Réveillon Rio 2019 foi sinônimo de superação e desafio. Pessoalmente, estou muito feliz por essa conquista e por contribuir para a festa carioca que já se tornou um símbolo brasileiro e uma referência mundial. E, sim, tivemos uma virada inesquecível.

A festa de 2019 homenageou o estilo de vida do carioca – da gema ou de coração. A cidade teve recorde de ocupação hoteleira e também nos albergues, milhares de turistas chegaram em cruzeiros para prestigiar a queima de fogos em Copacabana. Foi um Réveillon superlativo, como o Rio merece.”, disse Marcelo Alves, presidente da Riotur.

Para celebrar a chegada de 2019, a festa em Copacabana teve uma longa queima de fogos, com 14 minutos de espetáculo pirotécnico sincronizado a uma trilha sonora desenvolvida especialmente pelo produtor musical João Brasil.

No céu, 16,9 toneladas de fogos multicoloridos foram disparadas de dez balsas e formaram imagens como figuras geométricas, corações, estrelas, carinhas felizes, círculos e espirais, com um grande final em tom de dourado.

O espetáculo coreografado e piromusical, assinado pela Vision Show, teve grandes pinturas no céu e cascatas acompanhadas por músicas apoteóticas. Os cinco telões espalhados pela orla ajudaram o público a assistir à grande festa.

A cantora Ludmilla entrou em cena logo após a queima de fogos, sendo seguida pelo DJ Dakid, pela escola de samba campeã do carnaval carioca de 2018, Beija-Flor de Nilópolis e pelo DJ Claudio Macedo, que encerrou a festa com vários hits.

Ludmilla sacudiu, e, literalmente, teve o maior público de sua carreira, que cantou junto e dançou até o chão os sucessos da estrela, que se emocionou e agradeceu pelo brilhantismo proporcionado pelo público à grande noite.

Antes da virada, o evento contou com apresentações do cantor Marco Vivan, DJs Cat Dealers, da Banda de Ipanema, dando o clima carnavalesco à festa, Baby do Brasil e Gilberto Gil, que contou ainda com a afetuosa participação da filha Preta Gil na apresentação inesquecível e emocionante que fez.

Tudo isso aconteceu no palco criado pelo premiado cenógrafo Abel Gomes, um dos sócios da SRCOM, produtora do grandioso evento. O locutor Norival Jr, profissionalmente conhecido como “Orelhinha”, foi o mestre de cerimônia do Réveillon de Copacabana.

Segundo o último levantamento realizado pela Abih-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro) e o SindHotéis Rio, a taxa média na cidade para a noite da virada foi de 98%, número superior aos registrados na apuração do mesmo período no ano passado.

A maior demanda se concentrou nas regiões do Flamengo e Botafogo, com 100% de ocupação, seguido por Copacabana, Leme e Centro, com 98%, e Ipanema, Leblon, São Conrado e Barra com 97%.

No total, 79% são brasileiros e 21% são estrangeiros - vindos, prioritariamente, da Argentina, Estados Unidos e Chile. A entidade também realizou uma consulta aos hotéis do Interior, que registram mais de 93% de quartos ocupados para a data.

A festa contou com o apoio da SPU – Secretaria de Patrimônio da União, Abih - Associação de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro, Sindicato dos Hotéis do município do Rio de Janeiro e do Governo Federal/Ministério do Turismo.

Esta foi a programação:

Marco Vivian
DJs Cat Dealers
Banda de Ipanema
Baby do Brasil
Gilberto Gil

Queima de fogos

Ludmilla
DJ Dakid
GRES Beija-Flor de Nilópolis
DJ Claudio Macedo

Números

-  14 minutos de fogos;
-  10 balsas oceânicas, com distâncias iguais de 275 metros entre balsas, mantendo equidistância correta;
-    5 telões na orla;
-   16 torres de comunicação com sonorização;
-    Expectativa de mais de 2 milhões de pessoas;
-    16,9 toneladas de fogos;
-     800 banheiros químicos;
-       4 postos médicos;
-     30 torres da PM.

Fonte: Redação.

TAGs: