Parada LGBT de São Paulo: A hora e a vez da diversidade e das marcas

24/06/2019


Aproximadamente 3 milhões de pessoas marcaram presença no evento realizado no domingo (23/06), na Capital paulista.

parada lgbt são pauloO número de participantes da 23.ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, considerada a maior do mundo, foi informado pela organização do evento. Ao todo, 19 trios elétricos desfilaram pelo local durante mais de 7 horas.

O melhor do entretenimento está aqui.

Leia também: Demolidor sai com Amstel na Parada LGBT.

A concentração ocorreu a partir das 10h, na frente do Museu de Arte de São Paulo (Masp), depois a passeata desceu a Rua da Consolação e foi até a Praça Roosevelt.

parada sp

Atração mais aguardada do dia, a cantora Melanie C, ex Spice Girl, encantou o público ao subir em um dos trios. Ela agradeceu o carinho recebido. “Estou muito feliz de estar de volta a São Paulo, um lugar que sempre foi generoso comigo.”, afirmou.

parada lgbt sp

O dia também foi de shows de Aretuza Lovi, Gloria Groove, Iza, Lexa, Luísa Sonza e MC Pocahontas.

O tema deste ano foi “50 anos de Stonewall –Bras nossas conquistas, nosso orgulho de ser LGBT+”. Ele relembra a série de manifestações da comunidade LGBT contra batidas violentas da polícia de Nova York em um bar, o Stonewall Inn, no fim da década de 1960.

“É um marco importante na luta dos direitos LGBTs do mundo todo.”, afirmou a presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOGLBT), Claudia Regina, em nota.

parada lgbt

“Ele nos mostra que, independente do governo ou qualquer ameaça que enfrentamos diariamente na rua, dentro de casa ou em qualquer lugar, precisamos ser fortes, resistir e sermos nós mesmos.”, completou Claudia Regina.

Casamento Homoafetivo

Poucas horas antes da 23ª Parada LGBT de São Paulo, a Avenida Paulista foi palco de um casamento coletivo LGBT.

Quatro casais homoafetivos disseram "sim" num cartório improvisado numa unidade da WeWork, rede de escritórios compartilhados, localizada num prédio da via.

parada casamento

A cerimônia teve a presença do juiz de honra do 34º Cartório de Registro Civil. 

Apoio das Marcas

Infelizmente, a perseguição, discriminação e as violências contra as pessoas por causa de sua orientação sexual ou identidade de gênero – real ou percebida – é uma triste realidade, não só no Brasil, mas no mundo todo.

Quanto mais grandes marcas apoiarem o Movimento do Orgulho LGBTQI+, maiores são as chances de diminuir essa discriminação totalmente sem sentido.

parada sp

Nesse ano, algumas marcas muito conhecidas do povo brasileiro fizeram sua estreia na Parada LGBT de São Paulo. Uma delas foi a Avon, que chegou com trio elétrico próprio, comandado por celebridades do cenário LGBTQ, infláveis gigantes, além de faixas, stickers e muita festa para o público do evento.

Outra marca estreante no apoio à Parada LGBT de São Paulo, a cerveja puro malte Amstel, do Grupo Heineken no Brasil, agitou a Avenida Paulista com trio puxado pela cantora IZA.

parada

A Amstel, desde o dia 16 de junho, espalhou pela região da Avenida Paulista diversas frases para encher a comunidade de orgulho. Exemplo disso: I’AM Free e I’AM Proud, que teve como objetivo de fazer com que as pessoas se sintam livres para serem como quiserem.

A parceria com a ONG APOGLBT SP (Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo), responsável pela organização do evento, aconteceu após a marca trazer um pouco da cultura de Amsterdã para São Paulo com o projeto Amstel District, reforçando a comunicação sobre suas origens.

No domingo, a Amstel contou com o Trio Demolidor da MB Produções, para agitar o público presente na Paulista (Veja aqui).

parada demolidor

Outra marca que mostrou o seu apoio com a comunidade LGBTQI+ foi a Adidas que lançou uma coleção especial e contou com o cantor Pablo Vittar como porta-voz.

Pela primeira vez, a Amarula, do segmento de licores, se uniu ao Bob’s, rede que mais entende de milk-shake no País para disponibilizar um produto especial. Bebida gelada, que combina leite, baunilha e licor, foi vendida até domingo (23/06) na unidade da Avenida Paulista, Nº 1904, pelo preço de R$ 13,90.

A Wappa - app de transportes 100% brasileiro - distribuiu durante a Parada LGBTQI+, 2 mil copos com tirantes e 5 mil leques customizados com a marca e com referências à bandeira LGBT.

Além dos brindes, a empresa de mobilidade promoveu ao longo do evento uma ação de engajamento em suas redes sociais.

parada

Com a #WAPPANAPARADA, a Wappa sorteou entre os usuários que postaram fotos com esta hashtag um crédito no valor de R$ 1 mil em corridas de táxi ou carro particular solicitadas pelo aplicativo.

K-Y, marca pioneira e líder mundial no mercado de lubrificantes, apoiou pela primeira vez a Parada LGBTQI+ de São Paulo, distribuindo munhequeiras nas cores da bandeira do orgulho LGBT, mostrando ao mundo a força e a luta da comunidade LGBTI+.

A empresa de lubrificantes escolheu o item para representar a luta da comunidade e o tema escolhido para a 23ª Parada, os "50 anos de Stonewall".

parada ky

Com o propósito de promover a diversidade e reforçar a importância de as pessoas terem orgulho de serem elas mesmas, Doritos Rainbow foi apoiador do projeto, que também contou com o apoio de Absolut.  

Na Maior Festa de Casamento do Mundo, que celebrou o amor independentemente de gênero, as marcas presentearam com seus produtos os casais e convidados na cerimônia de oficialização.

absolut absolut

Independentemente do número de marcas participantes na edição desse ano, o importante é que as pessoas aprendam a respeitar a diversidade.

Nas páginas do Promoview você sempre encontra posts sobre as ações que essas grandes marcas fazem para colocar um fim à homofobia. Fazemos questão de abrir espaço para esse tipo de divulgação que só contribui para um mundo melhor.

parada

Quem sabe, no futuro, as pessoas que incitam a violência contra os LGBTQ+ não percebam que são minoria e comecem a pensar antes de usar o seu “direito de opinião” para restringir os direitos dos outros.

 

Fonte: Redação.

TAGs: ativação-de-marca diversidade evento live-marketing parada-lgbt-sp são-paulo