Marketing de encantamento: Os desafios da Era Phygital

19/09/2019


A experiência do cliente se tornou um termo vago. A única certeza é que o consumidor está cada vez mais exigente e surpreendê-lo é um desafio para qualquer empresa.

As telas não são mais a grande novidade deste século e o conteúdo digital invadiu o mundo real por meio da tecnologia. Este é o cenário da revolução Phygital que está em curso: aproveitar toda a tecnologia digital disponível para encantar o cliente na vida real.

Após o auge do virtual, cresceu o interesse dos consumidores em objetos físicos, como discos de vinil, câmeras analógicas e fitas VHS. Mais do que uma nostalgia, este momento marcou uma demanda de valorização do aqui e agora, o mundo palpável.

A boa notícia é que a Internet das Coisas (IoT) permitiu com que a conexão avançasse para além das telas e junto com outras tecnologias criou as ferramentas necessárias para unir o melhor dos dois mundos - bem-vindos à Era Phygital.

Em resumo, Phygital é o meio do caminho entre a vida real e a conectada. Na prática, significa valorizar não apenas a experiência de compra do cliente, mas o encantamento do consumidor com a marca.

As instalações phygitais são variadas - desde eventos, ativações e todas as ações físicas com gatilhos digitais - além disso, integram recursos como geolocalização, realidades aumentada, mista e virtual e uma série de outras ferramentas que podem atuar diretamente como estratégia de marketing de oportunidade e também para o engajamento de consumidores ao mesmo tempo em que consolida um banco de dados.

No entanto, é importante entender qual o valor do que está em desenvolvimento. O Marketing Phygital, como dito, busca o encantamento. Ou seja, não é um aplicativo de ofertas ou um QR code com informações extras (e desnecessárias) sobre o produto.

As possibilidades são maiores - é possível criar uma extensão do mundo de faz-de-conta no mundo real e proporcionar interatividade de verdade entre os dois ambientes.

Em outras palavras, existe um propósito phygital para a tecnologia. Hoje, as crianças gastam 67% do tempo livre olhando para diferentes telas, por isso, não há como tentar enganá-las com falsas experiências.

A Era Phygital exige o compromisso das empresas em proporcionar o melhor dos dois mundos para encantar o cliente que, uma vez impactado da forma correta, dificilmente esquecerá das sensações físicas que determinada marca ou produto o proporcionou.

 

Por Sal Zammataro.

TAGs: artigo marketing-digital sal-zammataro