Face, YouTube e Insta são as mais acessadas no Sul

13/03/2019


Os usuários apontaram que na cama, antes de dormir, (62%) e no trabalho (46%) são as ocasiões mais frequentes de uso.

De acordo com dados do Mobile Trend que ouviu o total de 1.400 usuários de celulares em todo o país e 300 pessoas na região Sul, o Facebook (88%), YouTube (69%),  Instagram (55%), Google+ (45%) e MSN (20%) são as mídias sociais mais acessadas pelos gaúchos.

Confira as últimas novidades sobre marketing digital aqui.

Leia também: Facebook faz uma limpa na plataforma.

Os dados são do painel contínuo criado pelo Grupo Croma que disponibiliza para as empresas um mapeamento de comportamento dos usuários, preferências e tendências do mercado mobile no Brasil.

Os momentos de maior uso apontados pelos pesquisados é na cama, antes de dormir, (62%) e no trabalho (46%). Entre outras ocasiões de destaque estão na cama ao acordar (45%), assistindo à TV (42%), comendo sozinho (36%) e no deslocamento, (35%).

“Esses números revelam a importância que o celular tem na vida das pessoas e como ele se tornou um item indispensável no dia a dia para a comunicação e outras tarefas profissionais e domésticas”,  explica Edmar Bulla, CEO do Grupo Croma.

A coleta dos dados será feita mensalmente e a cada trimestre haverá leituras consolidadas sobre os principais pontos de experiência de compra e uso de celulares. “Os dados do estudo podem ser comprados por companhias de diferentes setores.O estudo tem como foco o comportamento humano com uma de suas principais interfaces tecnológicas: o smartphone. Sem dúvida, o painel é uma ferramenta importante para criar estratégias de negócios mais assertivas.” finaliza o consultor.

Para as empresas adquirirem mais dados do estudo e o diagnóstico completo é preciso fazer uma assinatura anual.

“O Mobile Trend dá direito a quatro relatórios por ano sobre o mercado de mobile no Brasil, contudo o mais interessante são as análises customizadas e os filtros opcionais, como o Behavioral, que monitora hábitos sem fazer perguntas ao entrevistado, e o Geoloc, que avalia o comportamento em função da localização. O mercado brasileiro precisava de um painel contínuo e acessível às empresas.”, finaliza Bulla.

Fonte: Redação.

TAGs: