E se o Google acabar?

21/02/2018


Alguém consegue imaginar como seria o seu dia a dia sem as consultas na maior fonte de informações da internet?

O Google é uma empresa multinacional de serviços on-line e software dos Estados Unidos. Hospeda e desenvolve uma série de serviços e produtos baseados na internet e gera lucro principalmente por intermédio da publicidade pelo AdWords.

Apesar de haver outros canais de busca na internet, o Google se tornou uma referência mundial, e, atualmente, ninguém consegue mais viver sem as suas importantes informações.

No entanto, é preciso que fique claro que as informações que estão no Google são feitas por pessoas comuns, muitas vezes sem uma especialização devida para falar sobre determinados assuntos.

Um dos mais preocupantes é o da área de Saúde. São dicas e mais dicas que não são escritas por médicos ou outros profissionais do setor. Para evitar problemas mais graves à população, grandes centros médicos do País resolveram se unir para publicar conteúdo que seja realmente verdadeiro.

Mas não é só isso que preocupa. Apesar de termos informações muito úteis, em qualquer área que se possa imaginar, desde agricultura a dicas de moda, passando por receitas de bolos e tantos outros, as pessoas estão tão presas a fazer pesquisa no Google que não trocam mais ideias com quem está ao seu lado.

Até as discussões de mesa de bar já terminaram. Afinal, quando surge uma dúvida sobre determinado assunto, na mesma hora alguém já se prontifica a ‘perguntar para o Google’, e, o que ele disser, é lei.

Hoje, todos os sites, seja de empresas ou de notícias, querem estar na primeira página do Google, afinal, se não estiver, é como se não existisse. O que isso acarreta? Mesmice!

A criatividade parece que foi esquecida. Os sites são praticamente todos iguais, as palavras-chave para aparecer no Google são sempre as mesmas, e, com toda essa preocupação, o conteúdo de qualidade acaba desaparecendo.

Não estou dizendo que no Google não tem qualidade no seu conteúdo. Tem muita coisa boa, mas, como em qualquer segmento, tem também as coisas ruins.

As boas e velhas discussões na mesa de bar terminaram depois que todos passaram a reccorrer ao Google.

Antigamente, para se produzir uma matéria para um jornal ou uma revista, por exemplo, era necessário muita pesquisa em livros, bate-papos com profissionais do ramo, e, horas e horas eram dedicadas para produzir um único conteúdo. Hoje, basta acessar o Google e em pouco tempo se produz um texto. Isso realmente facilita muito o dia a dia de quem lida com comunicação.

Como não tem mais como fugir dele, muitos profissionais da área de comunicação não conseguem se imaginar fazendo qualquer coisa sem antes fazer uma consulta no Google. Porém, sempre que possível, vamos tentar trocar uma ideia com quem está ao nosso lado, conversar com um profissional especialista de determinada área, pedir uma receita de bolo para a mãe ou avó, ou seja, vamos interagir mais com o próximo e dar um descanso para a máquina.

Que as discussões na mesa de bar continuem, não importando de quem seja a última palavra. Pode ser de qualquer um, menos do Google, ok? Mesmo que o seu site não esteja na primeira página dele, só publique conteúdo de qualidade.

As fake news acabaram ganhando um espaço muito grande, e, portanto, está na hora dos profissionais prestarem muita atenção no que publicam, porque, do contrário, o que veio para facilitar pode acabar trazendo mais problemas. Tem muita gente boa no mercado de comunicação com potencial para produzir conteúdo de qualidade sem precisar da ajuda do gigante da internet.

É preciso que os leitores em geral também façam a sua parte, pesquisando e lendo somente em sites confiáveis, dessa forma, as fake news não serão alimentadas.

Fonte: Redação.