Conectividade: a infraestrutura digital essencial ao varejo

23/10/2019


Uma pesquisa que vi recentemente mostra que 96% dos clientes do varejo preferem lojas que oferecem Wi-Fi, enquanto 78% dos compradores usam a conexão oferecida nestas lojas.

Isso mostra que a infraestrutura digital é um elemento básico das soluções necessárias para os varejistas competirem no mundo do comércio e compras.

O setor está em um ciclo de profundas mudanças, basicamente derivadas de dois fenômenos: a evolução da demanda do consumidor e as inovações tecnológicas.

Em um país em que o comércio eletrônico tem estimativa de crescer R$ 79,9 bilhões até o final de 2019, é natural que os varejistas tenham a necessidade, não apenas de estar no ambiente on-line, mas também de integrar as soluções oferecidas para atender o off-line da melhor maneira. Isso traz vantagens para o cliente e para o negócio.

Um bom exemplo são as grandes redes que oferecem lojas guia em shoppings. Não há caixas ou produtos à venda. Nelas, é possível experimentar uma roupa e depois comprar, seja pelo tablet que fica na entrada, seja pelo app no celular. Outras, fazem uma interação maior ainda entre on-line e off-line, ao permitir na loja física que o usuário leia o código QR da etiqueta do produto, compre imediatamente on-line e leve o produto na mesma hora para casa.

Para tornar a experiência do consumidor cada vez melhor, é preciso que o varejo físico entregue aos seus clientes uma boa conexão nas lojas, com o Wi-Fi gratuito, e uma boa experiência de compra conectada.

Isso traz mais conveniência ao consumidor e o incentiva não apenas a comprar, mas a interagir com o aplicativo da marca, para, por exemplo, ter descontos aplicados em produtos. É uma excelente arma de fidelização dos clientes.

Além disso, o varejista pode aproveitar os benefícios trazidos pela conectividade para entender o perfil do seu consumidor. Isso pode ser feito on-line, pelo caminho que o usuário segue enquanto compra, carrinhos que abandona, vezes que clica em anúncios e códigos promocionais, entre outras maneiras.

E também pode ser feito off-line. Zonas de calor em lojas, por exemplo, por meio do mapeamento de circulação dos clientes dentro dos estabelecimentos, podem ajudar a criar a estratégia perfeita de posicionamento de produtos ou quais setores investir recursos e pessoal.

Entendo que todas as mudanças que o varejo está fazendo e as que virão exigem uma rede preparada para acompanhá-las, sempre disponíveis e oferecendo uma integração simples com soluções de segurança e conectividade.

Investir em tecnologia para a conectividade é vital para os desafios atuais e futuros do setor. Em um mundo que se prepara para tirar proveito da IoT e da inteligência artificial, o passo principal é garantir que sua conexão esteja sempre disponível, o que trará benefícios diretos aos negócios.

 

Fonte: Leandro Laporta.

TAGs: artigo comércio-eletrônico varejo