Canal
Geral

Gestão da marca do casamento real – por Marcos Hiller

Por: 0 29 de Abril de 2011 13:51

Marcos Hiller* O casamento do príncipe Willian e da plebeia Kate atrai os olhares do mundo, incluindo especialistas do mundo da moda, gastronomia, turismo, realeza e os tablóides. Mas, se pudermos analisar esse evento com um olhar mais mercadológico, poderemos perceber que se trata de um espetáculo essencialmente midiático. Se olharmos sob a ótica do processo de gestão da marca "monarquia inglesa", esse casamento era tudo que a velha Rainha precisava. Um casal jovem, educado, bonito, feliz, rico, elegante, simpático e com histórias de vida exemplares é tudo que a marca Realeza Inglesa precisa. Marca essa que, certamente, necessitava de um impulso rejuvenescedor, haja visto que muitas pessoas ainda associam a realeza britânica a escândalos extra-conjugais de Charles e Diana, ou às tendências estéticas um tanto quanto piegas.

[caption id="attachment_106716" align="aligncenter" width="560" caption="William e Katie são os protagonistas do evento do ano."][/caption]

Após a trágica morte de Lady Di há quase 15 anos, nunca mais a família real foi vista como marca admirada. A princesa Diana era um ícone da elegância, da filantropia, da boa-mãe e, certamente, era uma figura-chave em trazer para a marca da monarquia britânica uma imagem mais amigável, admirada e benquista por todos. Porém, chegou o dia em que o primogênito de Diana se casa. Ou seja, todos aqueles atributos de admiração e de exemplos de família são resgatados, para o bem da marca monarquia inglesa. Especialistas comentam que o casamento real injeta, de maneira indireta, cerca de US$ 2 bilhões na economia britânica. Com isso, grandes marcas globais participam do evento, para serem vistas pelos olhares ávidos de todo o Planeta. O casamento real também ganha um holofote diferenciado nas redes sociais, como nos Trend Topics do Twitter. Aliás, o uso do microblog pelos convidados durante a cerimônia foi terminantemente proibido. Independentemente da obediência a essa regra da etiqueta digital, o fato é que a cerimônia movimenta a mídia e a opinião pública de todo o mundo, com inevitável impacto na marca “Família Real”. * Marcos Hiller é coordenador do MBA de Gestão de Marcas (Branding) da Trevisan Escola de Negócios.

Tags: