Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Economia Criativa é tema de encontro

Por: 0. 8 de Agosto de 2011

A Ampro – Associação de Marketing Promocional é apoiadora oficial do encontro “Economia Criativa: desafio e oportunidades”, que será realizado pela Fecap - centro universitário dedicado às áreas de administração e economia, no próximo dia 16/08, em São Paulo. O evento deve reunir empresários, profissionais do setor e professores, além do secretário de Desenvolvimento Econômico da Cidade de São Paulo, Marcos Cintra, para dialogar sobre desafios e oportunidades na economia criativa.

“Existem no Brasil mais de 2.300 faculdades formando cineastas, artistas, designers, arquitetos e publicitários, mas não há nenhuma formação específica para gestores das empresas constituídas por estes profissionais.”, afirma Manoel Müller, fundador e presidente por duas gestões da Associação Brasileira de Empresas de Design - Abedesign. Segundo Müller, parte da solução dos desafios da economia criativa está na formação de gestores especializados em negócios criativos. Empresas que têm seus negócios baseados na criatividade e talento de suas equipes de profissionais – os negócios criativos - constituem-se hoje na “menina dos olhos” de todas as grandes metrópoles do mundo moderno. São Paulo não é diferente e está no páreo pelo título de “Cidade Criativa” juntamente com Londres, Barcelona, São Francisco, Seul, Hamburgo entre outras. Esta disputa não se dá só pelo charme e glamour das atividades criativas. Estudo da Fundap, recentemente publicado pela prefeitura, indica que a participação do emprego formal criativo é 3,47%, no Município de São Paulo, a mais alta taxa do Brasil. A chamada Economia Criativa destaca-se não só pela capacidade de gerar empregos, mas também pela qualidade e remuneração desses empregos. De 2006 a 2009, a taxa média anual de crescimento do emprego formal no setor chegou a 9,1% no Município, enquanto no total da economia chegava a 5,8%. Apesar destes números reluzentes, profissionais e empresários dos setores pesquisados como arquitetura e design, artes performáticas, artes plásticas e arte escrita, audiovisual, edição e impressão, ensino, informática, patrimônio, pesquisa e desenvolvimento e publicidade e propaganda lamentam a baixa remuneração e a baixa rentabilidade de suas atividades. Assim, o encontro terá o objetivo de dialogar sobre o futuro da economia criativa, seus desafios e oportunidades. Para participar basta se inscrever pelo telefone (11) 3272-2344 ou pelo site. A entrada é franca.

Tags: