Canal
Geral

Copa marca o início de uma nova fase do turismo

Por: 0 13 de Junho de 2014

O ministro do Turismo, Vinicius Lages, afirmou no dia 09/06, ao abrir a 43ª reunião do Conselho Nacional de Turismo (CNT), que a Copa do Mundo vai marcar o fim de um ciclo do turismo brasileiro, iniciado em 2003 com a criação do MTur. Segundo ele, o período pós-evento será de construção de uma agenda com foco em ampliar a participação do setor na economia nacional. Veja também: quem são as agências promo em campo na Copa do Mundo no Brasil?  “Temos indicativos de que o atual modelo apresenta limites e um diagnóstico claro de que o turismo pode ter um crescimento muito maior do que o experimentado nas últimas décadas, da mesma forma que a agricultura brasileira, se um ambiente favorável for estabelecido”, afirmou o ministro para os membros do CNT, instância que, segundo ele, é fundamental neste processo de “aceleração do crescimento do turismo”.

Foto: Divulgação.
[caption id="attachment_402302" align="aligncenter" width="562"]Reunião do Conselho Nacional de Turismo. Reunião do Conselho Nacional de Turismo.[/caption] Na avaliação do ministro é preciso remover um conjunto de “amarras e entraves” que impedem que o setor tenha um crescimento à altura de seu potencial. A nova agenda para o turismo, que terá algumas ações já implementadas no segundo semestre, tem foco, segundo Lages, na ampliação dos investimentos, no atendimento às necessidades do turista, na maior interação do MTur com os operadores do mercado, no aprendizado com as experiências da Copa do Mundo, entre outros. Algumas das diretrizes de curto prazo para a implementação deste novo ciclo estão estabelecidas no PNT em Ação, desdobramento do Plano Nacional do Turismo 2013/16, apresentado durante a reunião do colegiado. O plano destaca alguns setores prioritários, como parques nacionais e temáticos, litorais e orlas, além de cidades históricas. O secretário executivo do CNT, Vinicius Lummertz, titular da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo, disse que o objetivo desta nova fase do MTur e da Embratur é fazer com que o turismo assuma liderança na economia nacional. Um dos primeiros passos na implementação do PNT em Ação, conta o secretário, será de adequação do arcabouço jurídico, incluindo a revisão da Lei Geral do Turismo. Nesta primeira reunião do CNT, presidida pelo ministro Vinicius Lages, a tônica foi a defesa da cooperação entre o público e o privado. Neste cenário, as Câmaras Temáticas do CNT serão os principais fóruns de “reflexão e negociação” para definição de políticas e investimentos do MTur. Os secretários executivo, Alberto Dias; e de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Neusvaldo Ferreira Lima, também participaram pela primeira vez da reunião, depois de assumirem os novos postos. Em breve pronunciamento, o secretário-executivo defendeu a maior interação entre o público e o privado na formulação de políticas públicas para o setor e avaliou que o setor “tem de tudo para se tornar um dos principais vetores de desenvolvimento do país”. Já o secretário Neusvaldo Lima, responsável pela área que cuida dos investimentos em obras de infraestrutura turística em todo o Brasil, ressaltou a importância da Copa do Mundo. “Estamos engajados nesse processo que representa um momento histórico para o país e para o turismo brasileiro”. O presidente da Embratur, Vicente Neto, fez um balanço das atividades do Órgão e do reforço nas atividades de promoção do Brasil no exterior em função da Copa do Mundo. “Com a classificação dos países, fomos intensificando as ações promocionais nos mercados prioritários”, disse. Vicente Neto também destacou a importância de reativar os Escritórios Brasileiros de Turismo (EBTs), que hoje estão em 11 países. Compuseram a Mesa do CNT, além do ministro, dos secretários e do presidente da Embratur, o empresário Guilherme Paulus, indicação da presidência da República no CNT, e o vice-presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur), Cláudio Magnavita.

Tags: