Não vou me despedir de você, porque sempre desconfiei que você fosse um anjo. E de anjo não se despede.

Caro amigo Flavio

04/11/2017

Não vou me despedir de você, porque sempre desconfiei que você fosse um anjo. E de anjo não se despede.

Você que ja trazia a marca angelical de família, filho de gente de luz, marido de um amor de pessoa e pai de filhos-anjos, esteve entre nós, iluminado com seu trabalho a vida de gente.

Com luz, trouxe alegria em árvore iluminada e reverenciando Sol; com alegria, revezou a humana tocha e esteve nas festas e carnavais; com brilho, nos redimiu ante o mundo numa abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos que a história e mundo não esquecerão jamais.

Mas não sabiam que você era um anjo, e que, como tal, voaria quando quisesse. E como o Tistu do dedo verde, você alçou seu voo ao céu das estrelads, quem sabe em meio aos fogos que comemoravam a vida eterna.

Você, querido amigo, saiu em lindo voo do que chamam de vida e ganhou a vida eterna da história que você ajudou a construir, com a SRCOM.

Não vou chorar, vou providenciar a festa que honre o homem, que honrou o Live Marketing, os eventos e produziu alegriia para tanta gente.

E, no Revellion de Copa, onde te encontrar era uma alregria, quando os Fogos brilharem no céu, teremos mais uma estrela lá.

E você vai entender esse final de texto, assim como o Abel, a Sheila e a Anne.

O RIO DE JANEIRO continua lindo, por você, amigo. AQUELE ABRAÇO!
 


Fonte:: Tony Coelho