Esta página pode utilizar cookies.
Warning (2): getimagesize(/wp-content/uploads/2014/04/vendingbottle-plastics-make-it-possible-foto-from-PSKF-560x3741.png): failed to open stream: No such file or directory [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 44]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Warning (2): Division by zero [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Notice (8): Trying to access array offset on value of type bool [ROOT/plugins/Amp/src/Template/Categoria/conteudo.ctp, line 46]
Ariane Feijó de Copenhague/ Dinamarca. Já falamos aqui do uso de vending machines reversas de garrafas pet para esta ação de marketing promocional, mas eu não tinha tido ainda a oportunidade de experimentá-las. O meu primeiro contato com uma delas, que reverte dinheiro por cada garrafa depositada, eu encontrei numa rápida passagem pela Alemanha, um dos primeiros países a adotar o sistema. Chegando em Copenhague, já no primeiro supermercado que entrei lá estava uma delas. Reuni o máximo de garrafas pet que consegui, considerando a minha de água diária e duas que recolhi, e lá fui eu me aventurar na máquina reversa. Fiz o vídeo (ou paguei o mico, como preferirem!) a seguir como prova da experiência mais sustentável e capitalista simultaneamente que já vivi: Publicação de Ariane Sefrin Feijó. A máquina que usei não dava moedas, mas vouchers para a rede de supermercados onde está instalada, que podem ser usados na compra de qualquer produto, inclusive cigarros. Cada garrafa rende 1,5 DKK (0,20€/ R$ 0,60). Muitas pessoas vão argumentar que a ideia desse processo é mais ou menos como os antigos cascos de refrigerante, mas eu protesto. Primeiro porquê, é completamente diferente receber dinheiro pelo descarte apropriado de algo, ao invés de receber desconto ou pagar um pouco menos por um produto. Em termos de impacto de marketing é uma grande experiência. Segundo, porquê o resultado é fabuloso: esteja você preocupado com o ambiente ou em reunir o máximo de dinheiro para economizar nas compras, das duas formas está fazendo algo indiscutivelmente muito legal para o meio ambiente.
Foto: PSKF.
[caption id="attachment_393315" align="aligncenter" width="560"] Educação sustentável começa na infância nos países do norte da Europa.[/caption] A minha pergunta, claro, após deixar um dos países mais simpáticos, conscientes e civilizados onde já estive, é se algum dia veremos iniciativas que funcionam tão bem no Brasil ou Portugal...