A competição em Bells Beach, a última prova da perna australiana do Circuito Mundial, ainda nem mesmo chegou ao fim, mas já foi dada a largada nos preparativos para a do Rio de Janeiro, que este ano será realizada em Saquarema, Região dos Lagos do Rio.

Estrutura do Mundial de Surfe do Rio Pro começa a ser montada em Saquarema

19/04/2017

A competição em Bells Beach, a última prova da perna australiana do Circuito Mundial, ainda nem mesmo chegou ao fim, mas já foi dada a largada nos preparativos para a do Rio de Janeiro, que este ano será realizada em Saquarema, Região dos Lagos do Rio.

Na manhã desta terça-feira, a estrutura do evento começou a ser montada nas areias da Praia de Itaúna. A janela do evento está marcada para acontecer entre os dias 9 e 20 de maio.

O SporTV.com vai transmitir ao vivo e acompanhará tudo em tempo real.Segundo a organização da etapa, a estrutura principal do Rio Pro terá 100m de comprimento por 12m de largura, sendo formada por dois andares que receberá atletas, imprensa e convidados.

Uma estrutura menor também será montada na Barrinha, do outro lado da praia.Ao londo do dia, os operários começaram o transporte e a montagem das estruturas metálicas nas areias. Ainda de acordo com a organização, para a estrutura ficar totalmente pronta serão necessárias seis carretas cheias com as estruturas metálicas e três geradores.

Depois de quatro temporadas sendo realizada na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a etapa brasileira do Circuito Mundial acontecerá em Saquarema, no litoral fluminense, com o compromisso de um evento sustentável.

A Praia de Itaúna será o palco principal, enquanto a Barrinha, do outro lado da praia, foi escolhida como a alternativa. A poluição no Postinho, o cheiro de esgoto e a qualidade da onda foram contestadas pelos surfistas - alguns associaram o mal estar e sintomas como enjoos e ânsia de vômitos à água do mar.

A Liga Mundial de Surfe (WSL) atendeu aos apelos e optou por uma cidade pequena e menos badalada, porém, que respira surfe e oferece mais consistência e potencial para o esporte, proporcionando condições mais propícias e desafiadoras aos atletas.

Os surfistas terão acesso direto do palanque à praia, sem o contato com o público, como uma medida de proteção.

Itaúna, também conhecida como Point, está situada no canto esquerdo, na mesma extensão de areia da Barrinha, porém, do lado oposto. Os tops da elite poderão surfar esquerdas longas e manobráveis, assim como direitas cavadas em direção ao canal. A diferença de profundidade entre o fundo do mar e a bancada é um diferencial, proporcionando ondas fortes até a costa.

Quem levou o Rio Pro no ano passado, foi o havaiano John John Florence, também atual campeão mundial. Além dele, outros grandes nomes do surfe mundial marcarão presença, como os brasileiros Gabriel Medina, Adriano de Souza (Mineirinho) e Filipe Toledo, o australiano Mick Fanning e o americano Kelly Slater, 12 vezes campeão do mundo.


Fonte:: Redação