Que não fiquem chateados os Juniores espalhados pelo país, eu, mesmo, quase Júnior, pois tenho nome do meu pai, talvez ficasse se fizessem o corinho do título pra mim. Mas o Júnior ao qual me refiro nesse texto é categoria, não nome.

Ei, Junior, vai tomar café...

18/04/2017

Que não fiquem chateados os Juniores espalhados pelo país, eu, mesmo, quase Júnior, pois tenho nome do meu pai, talvez ficasse se fizessem o corinho do título pra mim. Mas o Júnior ao qual me refiro nesse texto é categoria, não nome.

Estou falando dos Júniors, assim fica melhor pro meu texto, filhos da Juniorização malsã perpetrada por empresas e marcas sem noção da sua própria importância e do valor der seus mais nobres profissionais, que a construíram. Isso, aquela história já não tão antiga ...

Empresa contrata um gênio de gestão ou promove um bobão para fazer reengenharia, e a única coisa que eles sabem fazer é demitir que ganha muito (defina muito?) e colocar alguém no lugar para ganhar pouco. A mágica é trocar profissionais experientes e qualificados, por gente recém-formada, que estudou em Universidades caras e com nomes, no Brasil – não vou falar nomes porque todos sabem quais, fabricantes de Júniors, ou que tenham feito curso no exterior e falem inglês fluente. A lógica é que quem paga esses cursos tem alguém que banque e portanto aceita ganhar pouco.

Aí surgem eles; OS JUNIORS. Já estive com um?

Dicas para saber se vc já se reuniu com um Júnior. Porque Junior não tem  ver com idade. Embora os mais comuns tenham entre 19 e 26 anos, há Júniors com mais de 30 e alguns com maias de 50 mas, em comum...

Marcam reunião em horários ruins e fazem vc esperar, mesmo que chegue na hora;

Colocam seus Smarts na mesa, quase sempre IPhones de última geração. Não, não é pra mostrar respeito a vc e dizer – SEM CELULAR – mesmo porque eles atendem os telefones e mandam mensagem todo tempo. É pra humilhar e mostrar poder;

Usam termos em inglês o tempo todo. A maioria não sabe Português mesmo e isso vc vê nos briefings e/ou documentos que lhes dão, se dão, porque as reuniões com eles costumam ser improdutivas. A não ser que vc seja brother, ou seja, um Junior disfarçado da sua empresa.

É que muitas Agências e empresas também se Junorizaram para poder ter alguém que entenda a misteriosa língua dos Juniors.

Bom, se vc, até aqui, não parou de ler e se viu numa dessas, vai um enlevo. UMA FRASE que os Juniors entendem, mas fingem que não.

Querido, vc ESTÁ (nome da empresa do Júnior), mas eu SOU (Noe da sua). Ano que vem, volto pra esse mesmo Job e haverá um outro Júnior em seu lugar. é descartável. Não é profissional). Eu serei eu mesmo.

Ah, outra  coisa, tem Júnior que não devia ser

Conhecia uns. Jovens profissionalíssimos, que sacam os erros e até gostariam de mudá-los. Aí o problema é ter um chefe Júnior. Se ser Júnior sem poder já é um problema, imagina um Júnior quer ganha cargo, mesa grande, cartão com três ou mais letrinhas CMO, CIO< CFO, CEO, COO e o pior de todos o fomentador de Juniors CHRO com seu nomezinho em cima?

Mas relaxem, Juniors são humanos e enfrentam crises. Têm mais problemas que os profissionais porque não se tocm quando podem, isso explica tantas m... com marcas e eventos e a demissão de tantos, hoje em dia, tempo de profissionaixs e Plenos e SÊNIors voltando.

Portanto,  aguarde que o mundo dá voltas e, um dia, como aconteceu comigo, o currículo de um Junior bobão que te sacaneou aparece na sua empresa, pedindo um vaga.

Ah, um conselho, responda a ele em inglês, se não ele manda outro ok? Não juniorize a sua ação. Seja profissional.


Fonte:: Tony Coelho